Centro Bem Estar de Queluz

O Centro Bem Estar de Queluz, onde foram detetados 38 casos positivos da covid-19 e se registaram dois óbitos, vai retomar as visitas na segunda-feira, após um processo de desinfeção, disse a diretora da instituição.

O lar, situado em Queluz, na União das Freguesias de Sintra, no concelho de Sintra, tinha testado na terça-feira os 62 utentes, tendo sido divulgados esta quinta-feira, os resultados pela diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, durante a conferência de imprensa diária sobre a covid-19.

Entre os 62 utentes, há registo de 32 casos positivos e de 30 negativos e seis funcionários assim como de dois óbitos.

Em declarações à agência Lusa, a diretora do lar de Queluz, Fernanda Braz, explicou os procedimentos que a instituição tomou. “Após conhecermos o resultado dos testes, os utentes foram divididos por pisos, consoante o resultado. Os utentes infetados estão isolados no piso inferior e os negativos no superior”, explicou.

Entretanto, a responsável adiantou que as instalações vão ser desinfetadas no sábado, sem que seja necessário deslocar os utentes, e que na próxima segunda-feira irão ser retomadas as visitas presenciais.

“Temos cumprido todas as orientações. Na segunda-feira, iremos retomar as visitas e a partir de amanhã [sexta-feira] os utentes poderão novamente ser contactados por videochamada e videoconferência”, apontou.

Há uma semana foram também testados os funcionários do lar, tendo sido detetados seis casos positivos.

Diretora Geral de Saúde anunciou surto

Graça Freitas, diretora Geral de Saúde, confirmou esta quinta-feira, um surto “num lar em Queluz”, no Centro Bem Estar de Queluz, que provocou “dois óbitos e seis casos de infeção entre funcionários e em 32 utentes”, de um total de 62 utentes do lar que foram testados, ao covid-19.

“Há uma intervenção em curso neste lar, quer por parte das entidades gestoras do lar, quer por parte das autoridades” disse Graça Freitas, no decorrer da habitual conferência de imprensa diária sobre a covid-19, da Direção Geral de Saúde (DGS), confirmando “em nome da transparência”, que “dois utentes faleceram”, sublinhado, contudo, que o lar “tem um plano de contingência e que este está a ser aplicado”.

“Amanhã [sexta-feira, 30 de maio] 13 novos Auxiliares de Ação Direta vão substituir os trabalhadores doentes, dando apoio aos dois pisos [do edifício] sem que as equipas se cruzem”, adiantou a diretora Geral de Saúde, fazendo referência ao plano de contingência, em curso.

Há uma semana foram também testados os funcionários do lar, tendo sido detetados seis casos positivos, conforme o SINTRA NOTÍCIAS adiantou na ocasião.