Carlos Vieira | A revolução tranquila no 2.º maior concelho de Portugal

O caminho começou há cerca de seis anos e no início muitos duvidaram. Ainda me recordo de alguns, que ainda andam por cá, dizerem que o Presidente Basílio Horta só vinha para Sintra por uns meses e que depois iria embora… Enganaram-se.

A concretização dos Centros de Saúde, que ganhou visibilidade esta semana com a abertura de mais três, é um dos exemplos da capacidade de fazer acontecer do atual presidente da Câmara Municipal de Sintra. E falo de capacidade de fazer porque acompanhei as dificuldades, os problemas e as entropias que ao longo do tempo tiveram de ser ultrapassadas. É um teste de resistência diário, que a resiliência de um presidente como Basílio Horta conseguiu superar.

Mas posso elencar uma série de outros projetos que estão a colocar Sintra no caminho certo, o caminho que sempre almejámos, mas que nunca tínhamos percorrido.

Os parques urbanos na Rinchoa, na Cavaleira, no Pego Longo e na Quinta da Fidalga. A abertura aos munícipes da Quinta da Ribafria e da Quinta Nova da Assunção. As ciclovias construídas e em construção, o Eixo Verde e Azul, o parque da Serra da Carregueira ou todas as intervenções de requalificação das escolas que estão a ser concretizadas. Ou ainda o arrendamento jovem, ou o facto de sermos o município com maior eficácia financeira. Tanto trabalho, tantas pequenas grandes coisas, todas de uma importância decisiva, como o parque de estacionamento na Praia Grande (necessidade antiga, mas que até agora ninguém tinha concretizado), o mercado de Almoçageme, os parques de estacionamento de Massamá e do Cacém, a Loja do Cidadão, ou tantos outros projetos que poderia acrescentar.

A lista das obras e dos projetos é longa, mas existe um que me diz muito: O novo Hospital público de Sintra.

Nasci no antigo hospital, na vila histórica, e o meu sentimento (chamem-me saloio), é que para além de precisarmos, merecemos ter um hospital. Graças a esta gestão vai ser uma realidade. Seremos assim o primeiro município português a construir um hospital e a entregá-lo ao Estado Central. Somos o segundo maior município do país, e finalmente assumimos essa responsabilidade.

Sou um privilegiado, tenho tido a honra e o prazer de trabalhar com o presidente Basílio Horta, e assim, dar o meu contributo nesta verdadeira revolução tranquila que está acontecer no concelho de Sintra.

Nos SMAS de Sintra conhecemos bem a nossa responsabilidade e os problemas que enfrentamos diariamente. O nosso trabalho e dedicação é permanente de forma a servir as pessoas. Os nossos trabalhadores são a principal razão de sucesso desta grande empresa municipalizada.

É com esta noção que vamos continuar a dignificar o serviço público, acompanhando a estratégia de desenvolvimento sustentável e inclusivo do município.

Carlos Vieira | Diretor delegado dos SMAS de Sintra