Morreu Marta Louro, jornalista que “sonhava ser uma princesa”

    Morreu hoje a jornalista da CMTV e do Correio da Manhã, Marta Louro, na sequência de um acidente, em Lisboa, quando se deslocava em reportagem.

    Segundo o Correio da Manhã, Marta Louro, de 27 anos, seguia num motociclo no Eixo Norte-Sul quando colidiu com uma viatura entre as saídas das Laranjeiras e Sete Rios daquela via. A jornalista, que seguia como passageira, não resistiu aos ferimentos e o óbito foi declarado no local. O condutor da moto sofreu ferimentos graves e foi transportado para o hospital de Santa Maria, na capital.

    “Uma criança que sonhava ser uma princesa”, Marta descrevia-se na rede social Linkedin, como “uma menina que tinha o sonho de ir à lua, uma adolescente que queria ser militar, uma jornalista”.

    Marta Louro estudou Ciências da Comunicação na Universidade Autónoma de Lisboa e é descrita por colegas como “uma das alunas mais aplicadas, esforçadas e dedicadas” do curso.

    Marta Louro residia em Colares e é filha do comandante dos Bombeiros Voluntários de Colares, António Pedro Louro.

    “Temos o triste dever de informar do falecimento de Marta Louro, filha do Comandante António Pedro Louro, ceifada num acidente rodoviário na flor da juventude”, pode ler-se numa publicação publicada no facebook, pelos Bombeiros Voluntários de Colares: “Os Órgãos Sociais, Corpo de Bombeiros, Fanfarra e Colaboradores estão de coração com o Comandante e Família”, pode ler-se.

    O SINTRA NOTÍCIAS lamenta o falecimento da Marta, e a perda sofrida por todos os colegas, amigos e familiares, a quem endereçamos as nossas condolências.

    [em atualização]