Mais 46 mortes e mais 2506 contágios em Portugal

Portugal registou mais 46 mortes associadas à Covid-19 (um novo recorde) e mais 2.506 infetados com o novo coronavírus, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde desta segunda-feira.

Graça Freitas, diretora Geral da Saúde | Foto: arquivo

Conferência de Imprensa
Graça Freitas, diretora Geral da Saúde

“A fadiga pandémica é natural e esperada, mas não nos pode fazer baixar a guarda”, Graça Freitas

“Estamos numa fase ascendente, é nossa responsabilidade achatar a curva. Quanto mais arejarmos o local onde estamos, menos probabilidade o vírus tem de se propagar. Temos de continuar a viver, a única coisa que temos de fazer é alterar o nosso estilo de vida e reduzir o nosso número de contactos. Os outros familiares que vivem noutras casas não são das nossas bolhas, não podemos facilitar no dia a dia no nosso emprego ou escola”, Graça Freitas

 “Os jovens também não estão imunes a ter doença grave”, Graça Freitas

Situação atual

Portugal ultrapassou hoje os máximos de óbitos e internamentos por covid-19 desde o início da pandemia com o registo de 46 mortos e 2.255 doentes internados, 294 dos quais em cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim epidemiológico da DGS hoje divulgado, Portugal regista hoje 2.506 casos, abaixo dos 3.062 notificados no domingo, e 146.847 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, além de 2.590 óbitos.

Em relação aos internamentos, o número de pessoas hospitalizadas continua a subir desde há mais de uma semana, sendo agora de 2.255 pessoas, mais 133 do que no domingo, dos quais 294 (mais 10) estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

Das 46 mortes registadas, 20 ocorreram na região Norte, 17 em Lisboa e Vale do Tejo, seis na região Centro e uma no Alentejo, no Algarve e na Madeira, respetivamente.

[em atualização]