Trabalhadores da Tratolixo em greve por melhores condições de trabalho

Os trabalhadores concentraram-se junto à sede da empresa, em Trajouce, para exigir um Acordo de Empresa e melhores condições de trabalho.

Trabalhadores, prometem prosseguir com a luta até que sejam satisfeitas as suas reivindicações

Trabalhadores da Tratolixo, estão esta quinta-feira em greve, convocada pelo sindicato Trabalhadores da Administração Local (STAL), filiado da CGTP, que exige negociações com a administração do Tratolixo sobre o Acordo de Empresa (AE).

Esta manhã os trabalhadores concentraram-se em frente à sede da Empresa, na Abrunheira para exigir melhores condições de trabalho, mas também reclamar por melhores salários, formação profissional e direito ao horário de 35 horas de trabalho semanal já praticado pelos trabalhadores das autarquias locais.

Os trabalhadores queixam-se da falta de diálogo por parte da empresa, que “persiste em manter os ordenados próximos do salário mínimo nacional para profissionais com mais de quinze anos de antiguidade enquanto, por outro lado, os membros do Conselho de Administração que recusam o diálogo se atribuem altas remunerações e mordomias”.

Trabalhadores queixam-se da falta de diálogo por parte da empresa

Concentrados em frente à entrada da central de triagem de Trajouce, no concelho de Sintra, os trabalhadores, prometem prosseguir com a luta até que sejam satisfeitas as suas reivindicações.

Recorde-se, a Tratolixo é uma empresa intermunicipal certificada, detida em 100% pela AMTRES – Associação de Municípios de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra para o Tratamento de Resíduos Sólidos – e responsável pelo serviço público de tratamento de Resíduos Urbanos produzidos pelos mais de 800.000 habitantes dos municípios deste Sistema de Gestão de Resíduos Urbanos.