Estrangeiros detidos por clonagem de cartões multibanco

Os detidos foram presentes no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa – Juízo de Instrução Lisboa, para 1.º interrogatório judicial, e ficaram em prisão preventiva.

Caixa multibanco | arquivo

O Comando Metropolitano da PSP de Lisboa, através da Divisão de Investigação Criminal, deteve no domingo, dois homens, de 25 e 32 anos de idade, suspeitos da prática do crime de burla informática e contrafação de moeda/titulo equiparado.

Segundo a PSP, já referenciada na PSP.

Os dois homens foram vistos a abandonar a viatura e a dirigirem-se para junto de uma caixa multibanco (ATM), “de onde retirou um dispositivo artesanal de captação e armazenamento de vídeo, bem como um outro inserido na ranhura de entrada/saída de cartões bancários utilizado para copiar os dados do referido cartão”, ação técnica conhecida como skimming nos meandros do crime.

A viatura utilizada foi apreendida e alvo de Buscas, sendo possível apreender vários objetos discretamente acondicionados no interior da viatura, nomeadamente, “dispositivos artesanais de captação de vídeo, com duas baterias e respetivos Cartões de Memória”; “três dispositivos artesanais de clonagem/leitura de banda magnética de cartão bancário (skimmers); 20 cartões de banda/chip eventualmente clonados; dois telemóveis; 140 euros em numerário; um computador portátil entre outros e vários documentos e papéis correlacionados com a atividade delituosa.

Ambos oriundos do Leste da Europa, pertencem a uma rede organizada que através destes dispositivos copiam os dados constantes nas bandas de cartões bancários (débito e crédito), gravando o Código Pin dos mesmos para, seguidamente, com recurso a cartões contrafeitos, proceder a levantamentos bancários e transações comerciais com os mesmos como se de fidedignos/originais se tratassem, lesando as pessoas em elevadas quantias monetárias face à discrição e tecnicidade da sua metodologia de trabalho, não raras vezes sinalizada pelos lesados vários dias depois.

Os detidos foram presentes no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa – Juízo de Instrução Lisboa, para 1.º interrogatório judicial e ficaram em prisão preventiva.

A PSP aconselha

1 – Ao dirigir-se ao ATM, verificar a presença/proximidade de indivíduos suspeitos com eventual interesse nas suas movimentações;
2 – Observe o ATM de forma a tentar perceber se existe alguma anomalia na estrutura do ATM, peças soltas, cor do plástico “diferente”, teclado e ranhura de introdução do cartão com folgas, presença de câmara de filmar e danos visíveis no ATM. Em caso afirmativo, não recolher/manusear e informar de imediato a PSP;
3 – Seja discreto e previdente aquando da marcação do código PIN, ocultando a sua marcação com as mãos de forma a não ser ilegitimamente captado através de meios técnicos criminosos;
4 – Se o cartão ficar retido, informe de imediato a entidade bancária e verifique a presença de eventuais suspeitos, mesmo que surjam sob o pretexto de ajudar;
5 – Monitorize com frequência as movimentações bancárias; 6 – Evite a inscrição do código PIN no próprio cartão;
7 – Evite a utilização de ATM´s em locais isolados e pouco iluminados;
8 – Não abandone talões de registo de operações no Multibanco.