“Meu querido Cabo Verde” patente no Museu das Artes de Sintra

    Está patente no MU.SA – Museu das Artes de Sintra – Sala Claraboia, até 18 de novembro, a exposição “Cretcheu Cabo Verde” promovida pela CASA SEIS

    A exposição é uma forma de trazer aos cabo-verdianos e a todos aqueles que se identificam com esta cultura

    Está patente no MU.SA – Museu das Artes de Sintra – Sala Claraboia, até 18 de novembro, a exposição “Cretcheu Cabo Verde” promovida pela CASA SEIS – Associação para o Desenvolvimento Comunitário

    A exposição é uma forma de trazer aos cabo-verdianos e a todos aqueles que se identificam com esta cultura um pedacinho de cada ilha, de cada rosto, de cada vivência e das melhores lembranças trazidas, não só na cabeça, mas no coração.

    As fotografias expostas são resultado da recolha realizada em cinco ilhas de Cabo Verde: São Vicente, Santiago, Santo Antão, Boavista e Maio, entre novembro de 2016 e abril de 2018, por Solange Aquino e Marta Mendes, no âmbito do projeto “Mães sem Fronteiras”, promovido pela Casa Seis – Associação para o Desenvolvimento Comunitário, apoiado pela Câmara Municipal de Sintra (PAFI) e Embaixada de Cabo Verde em parceria com a Congregação São Pedro Claver, no Mindelo.

    Cretcheu é uma palavra do Crioulo falado em Cabo Verde. “Cretcheu” significa, literalmente, “querer muito (cheio)”. Usado correntemente como “muito querido”, “querido”, “pessoa ou coisa muito querida”. “Cretcheu” Cabo Verde significa “Meu querido Cabo Verde”.