Autarca de Cascais lamenta tragédia e sublinha segurança do aeródromo

    Queda de uma aeronave em Tires

    O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, lamentou hoje a morte de cinco pessoas na sequência da queda de uma aeronave em Tires, mas lembrou que os acidentes não são recorrentes e que o aeródromo local tem segurança.

    Segundo fonte do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários, a aeronave descolou do aeródromo de Tires, tendo-se despenhado cerca de dois mil metros depois da descolagem e caído perto do estabelecimento comercial Lidl.

    De acordo com a Proteção Civil, a queda da aeronave causou a morte a cinco pessoas, quatro delas ocupantes do aparelho (três franceses e um suíço).

    A quinta vítima estava no parque de descargas do supermercado LIDL.

    “Ainda não estão apuradas as causas do acidente, isso agora compete às autoridades, mas o aeródromo está certificado com todas as condições de segurança”, afirmou a Lusa o presidente da Câmara de Cascais.

    Carlos Carreiras lamentou a tragédia ocorrida com a morte de cinco pessoas, mas sublinhou que estas ocorrências não têm sido frequentes.

    “Nos últimos anos, este foi o acidente mais grave, porque as situações que têm havido têm causado poucos danos”, afirmou Carreiras, quando questionado sobre a localização do aeródromo em meio urbano.

    Reconhecendo que as consequências do acidente de hoje poderiam ter sido mais graves, Carlos Carreiras lembrou que o aeródromo já existe antes de existirem construções à volta e, ainda assim, “todas as casas foram sendo construídas cumprindo as regras de segurança”, frisou.

    O presidente da Câmara de Cascais destacou também a presença do Presidente da República no local.

    “Pude assistir que foram muito importantes as palavras que ele teve para confortar as pessoas que lá estavam em ansiedade”, disse.

    Lusa