“Provocar uma crise política é uma total irresponsabilidade”


Francisco Louçã analisou, esta sexta-feira, no seu espaço habitual de comentário político na SIC Notícias, as dificuldades nas negociações do Orçamento de Estado para 2022.

Para o bloquista, muitas das medidas apresentadas pelo Executivo são apenas “para criar um biombo na sala”.

“São propostas de uma forma de negociação muito prussiana, ou seja, é posto em cima da mesa uma carta e não há discussão sobre ela porque é assim que tem de ficar, mesmo que seja tão marginal ou tão pouco relevante”, explicou Louçã, acrescentando que, na sua opinião, o Governo podia fazer muito mais.

Para Francisco Louçã não há dúvidas de que “há um problema de fundo” entre o Executivo de António Costa com o Bloco de Esquerda, cujo enfoco não é o OE2022.

“O Governo nunca quis bem negociar com o Bloco de Esquerda pois tem, desde há dois anos, uma situação muito conflituosa, que se traduziu numa divergência no último Orçamento”, relembrou Louçã. 

Já com o PCP,  evidenciou o fundador do BE, o Executivo tinha “uma atitude muito próxima, por vezes condescendente”. Contudo, “houve algo que mudou esta semana”: “O PCP subiu as suas exigências de negociação. O Governo diz que não o PCP não tem propostas concretas”.