O Município de Sintra adere às comemorações nacionais do Dia Mundial da SIDA, iluminando com a cor vermelha o Castelo dos Mouros, na noite de 30 de novembro

Orepto foi feito pela Direção-Geral de Saúde (DGS) a 10 cidades portuguesas e tem como propósito, assinalar o Dia Mundial da Sida na próxima terça-feira, 1 de dezembro, com edifícios iluminados a vermelho, para estes doentes não serem esquecidos enquanto dura a pandemia covid-19, e numa “via rápida para acabar com a epidemia VIH”.

O castelo dos Mouros em Sintra, a estátua de D. José I na Praça do Comércio em Lisboa, e o Centro Cultural de Cascais e o Museu Conde Castro Guimarães são alguns dos edifícios que ficarão simbolicamente iluminados de vermelho na noite de 30 de novembro.

Também a Amadora aderiu à iniciativa da DGS, disponibilizando-se a iluminar de encarnado o edifício dos Paços do Concelho e a Biblioteca Municipal Fernando Piteira, o que ainda se estenderá ao edifício dos Paços do Concelho em Oeiras. No Algarve, Portimão foi sensível à campanha propondo-se iluminar com a emblemática cor o edifício da câmara municipal e do museu da cidade.

As comemorações do Dia Mundial da Sida vão ter como tema “Solidariedade Global, Responsabilidade Partilhada”, assumindo a DGS e o Ministério da Saúde o compromisso de “mitigar o impacto da Covid-19 na resposta à infeção por VIH, para que ninguém fique para trás”.

A entidade de saúde sublinha ainda que a resposta à epidemia da sida tem de decorrer “sem estigma nem discriminação”, devendo ser “necessariamente de equacionada no contexto da pandemia da covid-19, o que justifica a mobilização de todos os esforços para defender os progressos alcançados, prevenir novas infeções, o acesso ao diagnóstico e referenciação atempado das pessoas infetadas e proteger as pessoas que vivem com VIH e outros grupos vulneráveis”.