Rui Maximiano (PS) candidato à presidência, presidente da União das Freguesias de Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro, e Montelavar

Rui Maximiano, presidente da União das freguesias de Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar, considera que o arranque das obras para a modernização e requalificação da Linha do Oeste, entre Sintra e Torres Vedras, com passagem pela Freguesia, “é uma mais valia, depois de muitos anos de espera”, por um decisão que só peca por tardia.

Em entrevista ao jornal Correio de Sintra e ao Sintra Notícias o autarca considera que “há uma luz ao fundo do túnel”, com a duplicação da linha no “troço entre a estação de Mira-Sintra/Meleças e o apeadeiro da Pedra Furada”. Segundo Rui Maximiano, “o interior da freguesia vai beneficia com esta ligação”, adiantando que “numa primeira fase vão ser construídas as passagens aéreas, no Sabugo e na Pedra Furada, que nos vai permitir circular mais depressa e sem restrições e limitações”, adianta o autarca.

(…) “Temos infraestruturas com grande capacidade, mas subaproveitadas na zona do Sabugo e é natural que haja aqui alguma deslocação de interesses e alguma concentração de produção com base no alargamento da Linha do Oeste” [Rui Maximiano]

“Temos zonas industriais que podem ter uma nova dinâmica no seu desenvolvimento com a linha do comboio. Falo de mobilidade interna, mas também na capacidade de fazer chegar mão de obra exterior à freguesia e ao concelho e de fazer escoar produto. Temos infraestruturas com grande capacidade, mas subaproveitadas na zona do Sabugo e é natural que haja aqui alguma deslocação de interesses e alguma concentração de produção com base no alargamento da Linha do Oeste. A expetativa é essa”, refere Rui Maximiano, sublinhando que “a mobilidade de e para Lisboa, vai ser muito melhorada, na circulação de pessoas, para esta zona do concelho de Sintra”.

Para o concelho de Sintra, está programada a construção de uma extensão de via dupla, num total de 16 quilómetros, para permitir o cruzamento de comboios sem necessidade de paragem, entre as estações de Mira Sintra-Meleças e o apeadeiro de Pedra Furada, na União das Freguesias.

(…) “Há uma luz ao fundo do túnel, com a duplicação da linha no troço entre a estação de Mira Sintra – Meleças e o apeadeiro da Pedra Furada” [Rui Maximiano]

O autarca lembra o envolvimento da União das Freguesias de Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar, no “processo de aquisição/expropriação amigável de vários terrenos para facilitar o alargamento da linha”.

Recorde-se, o arranque das obras iniciou-se na passada semana, e tem como propósito a modernização e requalificação da linha Ferroviária do Oeste, entre Sintra e Torres Vedras, de acordo a Infraestruturas de Portugal (IP) e o consórcio Gabriel A. S. Couto, S.A. / M. Couto Alves, S.A. / Aldesa Construcciones, S.A., e têm um custo de 61,7 milhões de euros.

A entrevista ao Presidente da Junta, Rui Maximiano, em destaque na edição desta semana do jornal Correio de Sintra, que já se encontra nas bancas e que pode ser consultado aqui.