“Este é um plano de todos, para todos, e que conta com todos”

Eduardo Quinta Nova, vereador com o pelouro de Solidariedade e Inovação Social considera o Plano Municipal para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo, "é uma bússola que nos guia e procura ajustar o investimento público às verdadeiras necessidades das comunidades”.

Eduardo Quinta Nova, vereador da Câmara de Sintra, com o pelouro da Solidariedade e Inovação Social

Foi apresentado no Palácio Nacional de Queluz, o Plano Municipal para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo 2019/2023, documento estratégico e de intervenção dirigido à população idosa do concelho de Sintra, “numa lógica de cidadania plena”, e às instituições que intervêm na área do envelhecimento.

“Este é um plano de todos, para todos, e que conta com todos, que pretende abranger os 58 mil seniores existentes no concelho, olhando-os de forma transversal no sentido de encontrar as melhores soluções nos vários setores, desde o acesso à saúde, passando pelos equipamentos sociais, combate ao isolamento e à solidão, à melhoria do espaço público, destaca Eduardo Quinta Nova, Vereador da Câmara de Sintra, com delegação de competência do Pelouro da Solidariedade e Inovação Social.

O Plano Municipal, “é uma bússola que nos guia e procura ajustar o investimento público às verdadeiras necessidades das comunidades”, refere o Vereador Eduardo Quinta Nova

A prevenção e combate ao isolamento social e o estímulo a hábitos de vida saudável são alguns dos objetivos previstos no Plano Municipal do concelho de Sintra para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo.

“Este é um Plano aberto, flexível e ajustável, que contempla seis áreas de atuação e 100 medidas, e define metas estratégicas para os próximos cinco anos”, destacou Eduardo Quinta Nova, acrescentando que o documento agora apresentado, “responsabiliza todos e cada um dos seus intervenientes”.

O plano tem um horizonte temporal de cinco anos e é dirigido à comunidade idosa do concelho de Sintra, prevendo-se abranger cerca de 58 mil seniores e também as instituições que com eles trabalham. “É uma bússola que nos guia e procura ajustar o investimento público às verdadeiras necessidades das comunidades”, refere o Vereador Eduardo Quinta Nova, destacando alguns dos eixos estratégicos do documento municipal, como o acesso à saúde, aos equipamentos sociais, combate à solidão, isolamento e maus tratos dos idosos.

Para Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra “torna-se imprescindível compreender a perspetiva das pessoas idosas, desenhar e desenvolver políticas públicas, medidas estratégias, serviços e programas integrados, de forma a garantir elevados padrões de eficácia e eficiência de um envelhecimento com dignidade”, apontou. 

O Plano Municipal para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo esteve em discussão pública até 8 de novembro e resulta do trabalho conjunto entre os parceiros do setor público, solidário e privado e da população sénior residente no concelho de Sintra.

  • Fotografia: Pedro Tomé/CMS