Município apresenta Plano Municipal para combater isolamento dos idosos

O Plano Municipal para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo 2019/2023 no concelho de Sintra, esteve em discussão pública e apresenta-se como um documento estratégico e de intervenção dirigido à população idosa e às instituições que intervêm na área do envelhecimento.

A prevenção e combate ao isolamento social e o estímulo a hábitos de vida saudável são alguns dos objetivos previstos no Plano Municipal do concelho de Sintra para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo, apresentado esta quarta-feira, em Queluz.

O plano tem um horizonte temporal de cinco anos e é dirigido à comunidade idosa do concelho de Sintra, prevendo-se abranger cerca de 58 mil seniores e também as instituições que com eles trabalham.

Os eixos estratégicos deste plano contemplam aspetos como o acesso à saúde e aos equipamentos sociais e o combate à solidão, isolamento e maus tratos dos idosos.

“Conscientes que os seniores surgem como um dos grupos permeáveis à pobreza e exclusão social, Sintra desenvolve políticas sociais promotoras de um envelhecimento ativo e com dignidade e este é um instrumento que olha para os seniores de forma transversal”, destacou Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra.

O autarca sublinhou que este plano favorece “a manutenção da capacidade funcional das pessoas idosas, para garantir o seu bem-estar, participação social, cívica, económica e cultural”.

“Torna-se imprescindível compreender a perspetiva das pessoas idosas, desenhar e desenvolver políticas públicas, medidas estratégias, serviços e programas integrados, de forma a garantir elevados padrões de eficácia e eficiência de um envelhecimento com dignidade”, sublinhou, Basílio Horta.

Prevenir e combater o isolamento social

No sentido de prevenir e combater o isolamento social, este plano prevê medidas como a promoção de convívios intergeracionais de partilha, o fortalecimento das redes de vizinhança e amizade e o reforço do papel do comércio local na identificação e encaminhamento de situações de isolamento e maus tratos.

O estímulo a estilos e hábitos de vida saudável é outro dos objetivos do plano, estando previsto para a sua concretização, o aumento da rede de equipamentos e respostas do Serviço Nacional de Saúde (SNS), como é o caso do apoio domiciliário, através da Segurança Social.

O alargamento da capacidade dos centros de dia e convívio, a criação de três hortas solidárias, a construção de três novas unidades de saúde em Algueirão Mem Martins, Belas e Rio de Mouro e o alargamento das instalações da unidade de Colares e Mira Sintra são outras das medidas previstas.

“O plano resulta de um amplo e profundo trabalho realizado ao longo de ano e meio pela Câmara Municipal de Sintra e pela Fundação Aga Khan Portugal, com a participação dos seniores de Sintra e de um conjunto alargado de parceiros que integram o setor público, solidário e privado”, concluiu Basílio Horta.

O Plano Municipal para o Envelhecimento Ativo, Saudável e Inclusivo 2019/2023 que esteve em discussão pública até 8 de novembro de 2019, constitui um documento estratégico e de intervenção dirigido à população idosa, numa lógica de cidadania plena, e às instituições que intervêm na área do envelhecimento.

Este documento resulta do trabalho conjunto entre os parceiros do setor público, solidário e privado e da população com mais de 65 anos residentes no concelho de Sintra.

Fotografia: arquivo