Oito mortos nas estradas e mais de 100 detidos por taxas de álcool consideradas crime

GNR Trânsito

Oito pessoas morreram nas estradas portuguesas desde quinta-feira, segundo o balanço da Operação Natal da GNR, que deteve mais de 100 condutores por apresentarem taxas de álcool no sangue consideradas crime.

Em comunicado, a GNR divulgou dados provisórios relativos ao período entre 22 de dezembro e as 7h30 de hoje, durante o qual registou 867 acidentes, que provocaram oito vítimas mortais, 12 feridos graves e 199 feridos leves.

No total, foram fiscalizados 28.389 condutores, dos quais 217 conduziam com excesso de álcool. Destes, 107 foram detidos por apresentarem uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l.

Foram ainda detidas 65 pessoas por conduzirem sem carta de condução.

Das 5.404 contraordenações detetadas, 1.680 deveram-se a excesso de velocidade, 406 a falta de inspeção periódica obrigatória, 186 a falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou cadeirinhas para crianças, 111 ao uso indevido do telemóvel durante a condução e 147 à falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

A GNR acrescenta que durante a operação irá continuar a priorizar a fiscalização à condução sob a influência do álcool e de substâncias psicotrópicas, ao excesso de velocidade, falta de inspeção periódica obrigatória, manobras perigosas e utilização indevida do telemóvel.

A “Operação Natal e Ano Novo 2022” da GNR decorre até ao dia 2 de janeiro.