Inauguração de Parque Fotovoltaico da Tabaqueira

No ano em que comemora o seu 60º aniversário, a unidade de produção da Tabaqueira, em Albarraque, na Freguesia de Rio de Mouro, no concelho de Sintra, inaugurou esta quarta-feira, um Parque Solar Fotovoltaico com uma área superior a cinco mil metros quadrados.

Este investimento insere-se no Programa Energético e Ambiental que a empresa tem em curso e que, nos últimos três anos, já aplicou 7 milhões de euros na melhoria da eficiência energética e industrial da fábrica.

Com perto de 2.600 painéis fotovoltaicos que ocupam uma área de 5.525m2, o parque fotovoltaico tem uma capacidade produtiva de 1MW que garante a integração de quase 10% de energia elétrica para autoconsumo da fábrica e contribui para a redução de emissões de CO2 em mais de 800 toneladas por ano.

O projeto, que envolve um investimento total superior a 1,5 milhões de euros, inclui a renaturalização de uma ribeira no perímetro da fábrica e implicou a replantação de árvores. Esta central fotovoltaica permite ainda alimentação de postos próprios de carregamento de veículos elétricos e híbridos plug-in que integram a frota da Tabaqueira.

“A fábrica da Tabaqueira, reduziu a sua pegada carbónica em 74%, através da implementação de diversas iniciativas de redução de emissões de carbono” — Marcelo Nico

“A Tabaqueira é uma das empresas mais importantes do concelho, pela criação de riqueza, pelas exportações e investimento, pela criação de emprego e, agora, também, pela sustentabilidade“, destacou na cerimonia de inauguração, Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, sublinhando que a empresa, “é um bom exemplo, que tem importância para Sintra, mas também para o País”.

“A entrada em operação deste parque consolida a aposta da empresa em matéria de inovação, sustentabilidade e transição energética”, referiu por seu turno, Marcelo Nico, diretor-geral da Tabaqueira, sublinhando que “este investimento integra um Programa Energético e Ambiental da empresa que soma aproximadamente 7 milhões de euros de investimentos nos últimos três anos, que tem permitido aumentar a eficiência energética e a produtividade da fábrica em Sintra, melhorar substancialmente o desempenho energético da nossa unidade fabril e manter a competitividade da mesma, ao mesmo tempo que são o motor para a redução da sua pegada de carbono, essencial para alcançar a certificação PAS 2060 de neutralidade carbónica da fábrica”.

Para o responsável, “é também a demonstração do compromisso que o grupo ao qual pertencemos, a Philip Morris International, tem para com o mercado português e que, ao longo dos últimos 11 anos, por via do investimento contínuo na operação portuguesa e na modernização industrial (e que ascende a 390 milhões de euros em 25 anos de privatização), a fábrica da Tabaqueira, reduziu a sua pegada carbónica em 74%, através da implementação de diversas iniciativas de redução de emissões de carbono”.

Fruto deste investimento continuado na modernização e eficiência industrial, “temos conseguido dar resposta aos desafios, crescendo consecutivamente as nossas exportações, assim como o número de trabalhadores”, sublinha Marcelo Nico, diretor-geral da Tabaqueira.

Num ano particularmente importante para a Tabaqueira, em que comemora 95 anos desde a sua fundação, em 1927, a inauguração deste “investimento verde” reveste-se de particular simbolismo: foi há precisamente 60 anos, em 1962, que a fábrica de Albarraque iniciou a sua laboração.

Volvidas seis décadas, posiciona-se hoje como um dos centros produtivos europeus mais importantes da Philip Morris International (PMI), grupo ao qual pertence há 25 anos. Em 2021, 86% da produção da fábrica de Albarraque teve como destino outros mercados, tendo o valor das exportações atingido o valor recorde de 719 milhões de euros.

O grande compromisso do grupo Philip Morris International é alcançar, até 2025, a neutralidade carbónica nas suas operações diretas e, até 2040, em toda a cadeia de valor do grupo.