Município de Sintra tem mais de 100 mil utentes sem médico de família

Filas para marcar consulta no novo Centro de Saúde de Algueirão-Mem Martins, em julho deste ano | Foto: João Paulo Gonçalves / facebook

O Movimento de Utentes dos Serviços Públicos (MUSP) tem vindo a realizar várias ações de sensibilização em vários estabelecimentos de saúde de norte a sul do país. A iniciativa teve início esta segunda-feira no Monte Abraão, no concelho de Sintra e vai terminar no domingo.

Ontem o MUSP este em Algueirão Mem Martins, hoje no Centro de Saúde de Agualva-Cacém, para alertar para a falta de profissionais de saúde. Para quem não tem médico de família aqui a opção é mesmo chegar mais cedo para garantir consulta.

Cecília Sales, porta-voz do Movimento, explica que nas cidades “as pessoas têm de ir às 5 da manhã para o centro de saúde para marcarem consulta e ainda assim há senhas que limitam o número de pessoas atendidas”. Agendar consultas pelo telefone não é uma alternativa, pois “ninguém atende”.

Recorde-se, no município Sintra há cerca de 100 mil utentes sem médico de família, dos quais 31 mil só na freguesia de Algueirão-Mem Martins.

A “falta de investimento no SNS, tanto em profissionais como em equipamentos” reflete-se em “vários problemas que a população enfrenta”, particularmente os mais idosos, referiu Cecília Sales.

O Movimento dos Utentes dos Serviços Públicos consideram essencial um investimento no Serviço Nacional de Saúde e exigem respostas ao Governo e o que lhe suceder após 30 de janeiro.

Alterar as regras de contratação e valorizar os profissionais de saúde, apostando na sua permanência no SNS são outros pontos defendidos por este movimento.