População

Cerca de 50% da população residente em Portugal concentra-se em 31 dos 308 municípios, localizados maioritariamente nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, segundo os resultados preliminares dos Censos 2021, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou, esta quarta-feira, os resultados preliminares do recenseamento geral da população. Os números revelam que a população residente em Portugal é agora de 10.347.892 pessoas, ou seja, um decréscimo populacional de 2% (menos 214.286 habitantes do que em 2011). O saldo migratório positivo não foi suficiente para compensar a redução da população portuguesa.

Há agora em Portugal 4.917.794 homens (48%) e 5.430.098 mulheres (52%). Segundo o INE, em termos censitários, a única década em que já se tinha verificado um decréscimo populacional tinha sido entre 1960 e 1970.

Em paralelo, os dados recolhidos pelo INE “acentuam o padrão de litoralização e concentração da população junto da capital”: “O Algarve (+3,7%) e a Área Metropolitana de Lisboa (+1,7%) são as únicas regiões que registam um crescimento da população, sendo o Alentejo aquela que regista o decréscimo mais expressivo”.

As restantes regiões perderam população, com o Alentejo a observar a quebra mais expressiva, com -6,9%, seguindo-se a Região Autónoma da Madeira, com -6,2%, mas também o Centro e os Açores, com menos cerca de 4%, e o Norte, com menos 2,4%.

O INE conclui que a última década, entre 2011 e 2021, “reforçou o movimento de concentração da população junto da capital”.

Metade da população concentra-se em 31 municípios

Cerca de 50% da população residente em Portugal concentra-se em 31 dos 308 municípios, localizados maioritariamente nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, segundo os resultados preliminares dos Censos 2021.

Os dados divulgados pelo INE indicam que, “em termos relativos, Odemira com 13,3% (mais 3.457 residentes) e Mafra com 12,8% (mais 9.838 residentes) foram os municípios que registaram os maiores acréscimos populacionais na última década, seguindo-se Palmela, Alcochete e Vila do Bispo, com valores entre os 9,6% e os 8,8%”.

Em decréscimo populacional, os cinco municípios que se destacam são Barrancos (-21,8%), seguindo-se Tabuaço (-20,6%), Torre de Moncorvo (-20,4%), Nisa (-20,1%) e Mesão Frio (-19,8%), revelou o INE.

Comparativamente a 2011, o concelho de Odemira, no distrito de Beja, aumentou de 26.066 para 29.523 habitantes. No extremo oposto, no município de Barrancos, no distrito de Beja, o número de habitantes caiu de 1.834, em 2011, para 1.435, em 2021.