Greve na Transtejo/Soflusa | Foto: Lusa

Os trabalhadores das duas empresas (com uma administração comum), que fazem as ligações fluviais entre a denominada Margem Sul (do Tejo) e Lisboa, cumprem hoje o segundo de dois dias de greve parcial, de três e duas horas por turno, por a empresa manter a sua posição de “aumento de 0%” nas negociações salariais, depois de uma primeira luta em 20 de maio.

A adesão à greve registada na TTSL, durante o primeiro turno, foi de 66%, refletindo a adesão de 63% na Transtejo e de 70% na Soflusa, tendo sido realizadas as carreiras de serviços mínimos, decretadas pelo Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social, para as ligações fluviais do Barreiro e de Cacilhas.

Pelas 11h00, o serviço de transporte público fluvial encontrava-se normalizado, depois de retomadas todas as ligações fluviais, de acordo com a empresa.

Em declarações à Lusa, Paulo Lopes, sindicalista da FECTRANS – Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (afeta à CGTP), explicou que a adesão no período da manhã “foi bastante boa”, refletindo a “grande insatisfação e indignação dos trabalhadores pela maneira como o Governo está a tratar os trabalhadores”.

“Podemos dizer que a luta está a ser bastante positiva”, frisou, avançando que será realizado um plenário de trabalhadores para ser realizado um balanço da luta e as iniciativas futuras, sem, no entanto, especificar quando é que o mesmo irá acontecer.

Segundo o sindicalista, do cais do Barreiro só saíram os serviços mínimos, enquanto de Cacilhas, houve, além dos serviços mínimos decretados, uma tripulação que fez uma carreira.

De acordo com a TTSL, as carreiras de serviços mínimos, nomeadamente a que ligou Barreiro-Terreiro do Paço, pelas 05h05, transportou 397 passageiros, número idêntico ao primeiro dia de greve, enquanto a embarcação Cacilhas-Cais do Sodré, das 05:20 transportou 140 passageiros, o mesmo número de passageiros do dia anterior.

À semelhança de quarta-feira, a ligação fluvial Cacilhas–Cais do Sodré manteve-se ativa, com um navio em operação, entre as 05h55 e as 09h20, período durante o qual foram transportados 779 passageiros.

Já a ligação fluvial Barreiro–Terreiro do Paço foi retomada cerca de duas horas antes do horário previsto, tendo partido às 09h40, transportando 67 passageiros.

No primeiro dia de greve, cumprido na quarta-feira, a TTSL registou uma adesão de 54% dos trabalhadores à greve parcial, resultado de 50% de adesão na Transtejo e de 63% de adesão na Soflusa.

De acordo com a empresa, depois de ter registado uma adesão à greve de 65% no período da manhã, no período da tarde registou 46%.

Segundo a informação disponibilizada pela empresa, e por se tratar de uma greve parcial por turnos, estão previstas as ligações do Barreiro para o Terreiro do Paço entre as 11h25 (primeiro barco) e as 17h35 (último barco) e, no período noturno, a partir das 22h00.

No sentido contrário, prevê-se a ligação entre o Terreiro do Paço e o Barreiro entre as 11h55 e as 18h00 e depois a partir das 22h30.

Lusa