A primeira “Óperas na Rua”, este sábado à noite no Largo do Palácio Nacional de Queluz, deixou o público “encantado”.

O terreiro do Palácio Nacional de Queluz foi pequeno para o primeiro espetáculo do evento com a “Ópera Delirium” (Ópera do Castelo), com obras de Bizet, Verdi, Mozart ou Leoncavallo.

Os mais de 600 lugares sentados não foram suficientes, acabando por se ver pessoas de pé e sentadas no chão num ambiente familiar, marcado pela presença de muitas crianças. Até bancos trazidos de casa foram utilizados para assistir à ópera na noite de sábado.

Primeiro espetáculo do evento “Óperas na Rua”

“Foi absolutamente fantástico ter este privilegio de assistir, aqui, a este espetáculo”, afirmou Vítor Carvalho, de 55 anos, no final do evento. “É muito importante continuarem a ser desenvolvidas este tipo de iniciativas que, como se pode ver, são um grande sucesso”, sublinhou.

“Estou encantada com tudo, magnífico espetáculo num cenário lindo”, confessou Inês Mendes, de 34 anos, garantindo que, não vai “faltar ao próximo”, apesar de não ser junto da sua casa.

“Óperas na Rua” no Palácio Nacional de Queluz

O presidente da Câmara Municipal lembra que esta iniciativa procura que “a emoção e intensidade dramática da ópera vá ao encontro dos nossos munícipes e visitantes, num projeto de proximidade com a comunidade”.

“A ópera é para todos os gostos e idades, para envolver e surpreender moradores e visitantes, numa experiência única, no coração da cidade, em pleno bairro, no meio da rua e próxima do público”, sublinha Basílio Horta.

Iniciativa procura que “a emoção e intensidade dramática da ópera vá ao encontro dos nossos munícipes”

Todos os espetáculo de rua, com excepção dos realizados na Quinta da Regaleira, são gratuitos. O próximo realiza-se a 5 de julho no terreiro do Palácio Nacional de Sintra.

PROGRAMAÇÃO

5 julho | 21h30

Palácio Nacional de Sintra, Largo Rainha Dona Amélia | Ópera Dido e Eneias (Coral Allegro -Associação Coral de Sintra) | Dido e Eneas é uma ópera trágica, em três atos e um prólogo, com libreto de Nahum Tate, e é considerada a única grande obra de teatro musical em inglês antes das óperas de Benjamin Britten, no século XX. A história baseia-se no IV Canto da “Eneida”, do épico latino Virgílio.

12 julho | 21h30

Largo N. Sr.ª da Natividade – Mem Martins | Mozart (Bythemusic) | O grupo “Ópera Viva” homenageia Mozart de uma forma divertida. Com interatividade e excelência musical e artística, este grupo presenteia o público com algumas árias mais emblemáticas do compositor, acompanhados de um quarteto de cordas e Piano. O próprio “Mozart” também estará presente numa encenação divertida em que parece compor os temas que irão ser cantados ao mesmo tempo que vai encenando os próprios cantores. Uma noite à Sec. XVIII com Bodas de Fígaro, Cosi Fan Tutte, O Rapto do Serralho, Don Giovanni, Flauta Mágica, com personagens vestidos a rigor.

13 julho | 21h30

Praça Salgueiro Maia – Massamá | Ópera nas Praças (Bythemusic) | Quando a Ópera chega às Praças, transforma, renova e surpreende. Ópera nas Praças é levar o canto lírico à população  da forma mais intensa, carismática, atrativa e bela com uma produção excelente. É transformar a Praça numa festa lírica brilhante e popular onde o público participa também e fica envolvido pelas mais espetaculares árias de Ópera, Canções Napolitanas, Broadway, Canções Líricas, Zarzuelas etc…

Um espetáculo memorável com seis conceituados cantores líricos.

19 julho | 21h30

Jardins da Quinta da Fidalga – Agualva-Cacém | Imaginemos grandes temas do nosso cancioneiro popular e tradicional transportados para um ambiente de época ou o ambiente de época transportado para os nossos dias. Simone de Oliveira, Vitorino, Zeca Afonso, Trovante, e até o Fado interpretados por seis vozes acompanhadas de um ensemble. Um projeto extraordinário que inclui arranjos belíssimos e únicos que unem pequenos trechos de música de grandes compositores como Vivaldi, Mozart etc…com a nossa canção e os nossos compositores. O resultado é uma espécie de Broadway à portuguesa com arranjos musicais e vozes e encenação dos 6 cantores que cantam canções como Desfolhada, Casa Portuguesa, Balada das sete saias de Trovante,  medleys de Zeca Afonso, e medleys do nosso cancioneiro popular e tradicional como : Milho Verde, Bailinho da Madeira, Malhão Malhão e muito mais. O público é envolvido por 6 personagens vestidos de Belle Époque que entram na Leitaria Garret (de Vitorino ) e relatam cantando o que por lá se passa. A partir desse momento entram numa Casa Portuguesa (numa casa clássica portuguesa) e contam-nos com canções os sucessos de várias épocas.

26 julho | 21h30

Praceta Sacadura Cabral – Rio de Mouro | Duetos crossover – O canto Lírico no Mundo  & Homenagem a Montserrat Caballé (Bythemusic) | Grandes temas  que unem o canto lírico ao universo musical pop eternizados por nomes como Andrea Bocelli, Sarah Brightman, Pavarotti, Lara Fabian, Placido Domingo, Montserrat Caballé, Freddy Mercury, Dulce Pontes etc.. interpretados por dois cantores cuja voz faz a ponte entre o registo lírico e o registo ligeiro. A união de dois mundos que se complementam e levam o canto lírico a um público abrangente. 

No âmbito desta iniciativa a Quinta da Regaleira e Quinta da Ribafria recebem Galas de Ópera, no entanto, estes espetáculos são com entrada paga:

21 e 22 junho | 21h30 | Quinta da Ribafria

Bilhetes à venda: Bilheteira da Quinta da Regaleira e Ribafria, em www.ticketline.sapo.pt e nos postos de venda Ticketline.