Bilhetes da CP sobem mais de 6% no novo ano

Estação da CP na Linha de Sintra | Foto: Sintra Notícias

Os preços dos bilhetes da CP vão sofrer um aumento generalizado em 2024. A operadora pública de transporte ferroviário anunciou aumentos médios de 6,25% nos serviços Alfa Pendular e Celta, e de 6,43% nos restantes serviços – Intercidades, regional, inter-regional e comboios urbanos.

Os aumentos significam que um bilhete para viajar de Alfa Pendular entre Porto e Lisboa na classe turística, que atualmente custa 31,9 euros, passa a custar mais dois euros. Já o bilhete de Lisboa até Braga sobe de 34,4 euros para 36,6 euros.

Para os destinos mais a sul, uma viagem entre Porto e Faro passa a custar 57,4 euros – um aumento de 3,4 euros por viagem. Entre Lisboa e Faro, os bilhetes de classe turística no Alfa Pendular passam a custar 25 euros.

Nos comboios Intercidades, o custo de uma viagem entre Lisboa e Braga sobe de 26,75 euros para 28,45 euros. Se quiser ir até Valença no mesmo comboio, passará a pagar 31,7 euros, quando atualmente paga praticamente 30 euros.

No caso dos comboios urbanos de Lisboa, os bilhetes de uma zona e de duas zonas sobem dez cêntimos, para 1,45 e 1,75 euros, respetivamente. O aumento é maior à medida que são atravessadas mais zonas. O bilhete comprado através do cartão zapping vai aumentar de 1,90 para 2 euros.

Nos comboios inter-regionais, o aumento do custo do bilhete de uma viagem entre Porto e Valença não chega a um euro – o novo preço é de 12,1 euros. Já uma viagem de comboio regional de Nine – onde os comboios de longo curso que partem e se dirigem para Braga deixam e recolhem passageiros da Linha do Minho – até Valença vai custar mais 50 cêntimos.

Para viajar em toda a Linha do Algarve entre Lagos e Vila Real de Santo António, vai ter que pagar mais 65 cêntimos do que em 2023 (11,35 euros).

Para ir de Coimbra até à Guarda – de autocarro, já que a Linha da Beira Alta continua em obras -, vai pagar mais 75 cêntimos (13,05 euros) por uma viagem que continua a durar mais de três horas.

Não incluídos nos aumentos estão as assinaturas e passes intermodais (como o Navegante). Existe ainda o Passe Ferroviário Nacional, que vai continuar a custar 49 euros, mas vai passar a abranger comboios urbanos, inter-regionais e Intercidades.