Meleças

Desde da madrugada que a intempérie provocada pelas chuvas e ventos fortes no distrito de Lisboa tem afetado grande parte dos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa.

No concelho de Sintra, o vereador da Proteção Civil de Sintra, Bruno Parreira, tem acompanhado de perto as equipas de Proteção Civil no Concelho, dando conta de algumas dessas situações mais complicadas nas redes sociais, partilhando algumas imagens em várias localidades. “Mas que noite”, pode ler-se numa das publicações.

Rio de Mouro, perto da Igreja

Ainda no concelho de Sintra, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil dá conta de inundações de estruturas ou superfícies em Capa Rota, Linhó, Lourel, Galamares, Belas, Queluz, Agualva Cacém e Ranholas.

Em Mem Martins uma inundação em habitação levou à intervenção de oito operacionais apoiados por duas viaturas, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil. Várias ruas estiveram temporariamente encerradas, pela manhã, na freguesia.

Em Colares, Várzea de Colares, Eugaria, Gigarós houve registo de algumas inundações, não se registando danos ou vitimas a lamentar.


Já esta tarde a Câmara Municipal encerrou o perímetro florestal da Serra de Sintra devido às condições meteorológicas, apelando a todos os cidadãos que evitem “qualquer deslocação” no local devido ao “elevado risco”.

A Proteção Civil registou desde as 00h00 de hoje 1.463 ocorrências, tendo a maioria ocorrido no distrito de Lisboa e estão relacionadas com inundações, quedas de árvores e deslizamentos de terras.

Entretanto, o aviso meteorológico para os distritos de Lisboa e Setúbal foi esta terça-feira à tarde desagravado de laranja para amarelo, indica o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O estado do tempo dá sinais de melhoria após um dia de forte chuva, com centenas de ocorrências, entre casas e negócios inundados e estradas cortadas ou condicionadas.

Imagens: Vereador Bruno Parreira / redes sociais
[atualizada, 17h08]