Palácio Nacional da Pena, na serra de Sintra | Foto: PSML / Luís Duarte

A Situação de “Alerta” foi alargada até 19 de julho, o que implica o prolongamento do encerramento do Parque e Palácio Nacional da Pena, do Castelo dos Mouros, do Convento dos Capuchos e do Parque e Palácio de Monserrate até essa data.

As condições meteorológicas previstas para os próximos dias e o consequente agravamento do risco de incêndio rural que o país enfrenta, levaram o governo a declarar Situação de Alerta para todo o território continental entre as 00h00 de 18 de julho de 2022 e as 23h59 de 19 de julho de 2022, que determina a “proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem”.

Por se situarem no perímetro florestal da Serra de Sintra e pelos respetivos acessos e permanência na zona se encontrarem interditados à população por questões de prevenção e segurança, o Parque e Palácio Nacional da Pena, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos e o Parque e Palácio de Monserrate permanecerão, assim, encerrados enquanto vigorar a atual Situação de Alerta.

Os Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz permanecem abertos durante este período, sem alterações ao seu funcionamento habitual.