Primeiro Ministro, António Costa em Sintra | Foto: Lusa

O Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, foi palco para o terceiro e último encontro “A caminho de Hannover” que visou a preparação para a participação de empresas nacionais na Hannover Messe’22, a maior feira mundial de indústria e na qual Portugal é parceira.

Esta sessão contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, do primeiro ministro, António Costa, do ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, do embaixador da Alemanha, Martin Ney e do presidente da AIESEC, João Dias.

A Hannover Messe é uma oportunidade única de afirmação nacional junto dos principais players mundiais da indústria, reforço do envolvimento da oferta nacional com empresas alemãs e captação de investimento estrangeiro para Portugal. Acima de tudo é uma oportunidade de definição estratégica do papel de Portugal no novo contexto mundial e identificação das áreas onde o país se pode afirmar como referência europeia para o fornecimento de produtos industriais.

Este ano a Hannover Messe’22 acontece de 30 de maio a 2 de junho, com Portugal a ser representado por 109 empresas e a apresentar-se sob o mote “Portugal Makes Sense”. 

“A gestão da autarquia desde o primeiro tem tido como prioridade o desenvolvimento económico e social”, destacou Basílio Horta, na cerimónia de abertura

Na cerimónia de abertura, Basílio Horta referiu que “Sintra merecia e merece este encontro porque uma parte significativa da riqueza nacional e do emprego é aqui gerado, pelos nossos empresários”, acrescentando “a gestão da autarquia desde o primeiro tem tido como prioridade o desenvolvimento económico e social. Nós olhamos para o crescimento não como um número, mas como um modelo, promovendo um crescimento que sirva a todos, inclusivo, acompanhado de direitos sociais e em que todos participem”.

O autarca recordou ainda os investimentos que foram e que estão em curso por parte do Município, que reforçam o apoio dado à indústria e que fazem de Sintra o maior investidor do concelho, “neste momento, temos três grandes blocos de investimento: saúde, recuperação das nossas escolas e habitação. Está aqui um grande conjunto de investimento que alavanca as nossas empresas, quer as de Sintra, quer as do país, de uma maneira muito significativa”.

O Concelho de Sintra é, dentro da Área Metropolitana de Lisboa (AML), o segundo concelho com maior número de empresas em efetividade e ao nível nacional encontra-se em terceiro lugar, apenas atrás de Lisboa e Porto. No que concerne à exportação, o município é o terceiro maior exportador e em relação ao número de postos de trabalho efetivos, Sintra encontra-se em segundo lugar dentro da AML.

António Costa voltou a defender que Portugal, “pela sua localização geográfica e pela segurança que oferece” reúne “condições únicas para poder ser uma grande plataforma na reindustrialização da Europa e uma aposta nas qualificações e na transição climática”

O encerramento desta sessão ficou a cargo de António Costa que realçou a escolha de Portugal para ser o parceiro deste evento, o que significa “o reconhecimento por parte da Alemanha da excelência daquilo que é a indústria e daquilo que é o conjunto de atividades de produtos e de serviços das empresas portuguesas produzidos para a indústria”.

O primeiro-ministro ressalvou ainda a importância de Sintra, que “é muito mais do que a Serra de Sintra, é um dos principais concelhos industriais da AML e do país. E Portugal também é muito mais que o sol e as suas pessoas, somos também um país que produz com base na indústria”.

Esta foi a última sessão de três designadas por “A caminho de Hannover”, que o Governo promoveu com o objetivo de ouvir os empresários e destacar a presença portuguesa na Hannover Messe’22.