Vida e obra de Luísa Ducla Soares em exposição no MU.SA – Museu das Artes de Sintra

O MU.SA – Museu das Artes de Sintra vai receber a exposição “Vida e obra de Luísa Ducla Soares – 50 anos de vida literária”, patente ao público, de 7 de junho a 3 de julho.

Esta mostra tem a finalidade de dar a conhecer a vida e obra de Luísa Ducla Soares e comemorar os 50 anos da sua vida literária. A exposição é constituída por livros, fotografias, documentos, quadros e trabalhos realizados por alunos em homenagem a Luísa Ducla Soares.

Luísa Ducla Soares escreveu mais de 180 livros para crianças, ilustrados por dezenas de autores ao longo destes 50 anos. A obra está dispersa por várias editoras e é possível encontrar sempre alguma das suas obras nas livrarias.

Escreveu contos, poesia, lengalengas, trava-línguas, recontou histórias de tradição oral e não deve haver muitos temas sobre os quais não tenha ainda escrito.

Luísa Ducla Soares | Janeiro de 2018

Luísa Ducla Soares

Luísa Ducla Soares nasceu em Lisboa a 20 de julho de 1939. É licenciada em Filologia Germânica pela Universidade Clássica de Lisboa.
Iniciou a sua atividade profissional como tradutora, consultora literária e jornalista, tendo sido diretora da revista de divulgação cultural Vida (1971-2).
Colaboradora de diversos jornais e revistas, estreou-se com um livro de poemas, Contrato, em 1970.
Foi Adjunta do Gabinete do Ministro da Educação (1976-8).
Trabalhou de 1979 a 2009 na Biblioteca Nacional onde iniciou a sua atividade realizando uma bibliografia da literatura para crianças em Portugal. Foi assessora principal desta instituição e responsável pela Área de Informação Bibliográfica. Aí organizou, no centenário de Andersen, uma exposição, acompanhada de catálogo, sobre Andersen em Portugal e diversas exposições.
Dedicada especialmente à literatura para crianças e jovens, em prosa bem como em poesia, publicou mais de uma centena de obras neste domínio.
Muitos dos seus poemas foram musicados (por Suzana Ralha, Daniel Completo, João Portugal, Óscar Ribeiro e outros compositores) tendo sido editados em diversos CDs.
Escreveu guiões televisivos sobre língua portuguesa para os mais jovens.
É sócia fundadora do Instituto de Apoio à Criança.
Realizou todos os sites de Internet da Presidência da República para crianças e jovens no mandato do Presidente Jorge Sampaio.
Tem elaborado para o Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e para o Ministério da Educação diversas publicações seletivas da literatura infantil nacional e internacional.
Junto de escolas e bibliotecas, desenvolve regularmente ações de incentivo à leitura.
Participa frequentemente em colóquios e encontros, apresentando conferências e comunicações sobre problemática relacionada com os jovens e a leitura e sobre literatura para os mais novos.
Recusou, por motivos políticos, o Grande Prémio de Literatura Infantil com que o SNI pretendeu distinguir o seu livro História da Papoila em 1973. Em 1980 foi galardoada com o prémio Octogone pelo seu livro Os Ovos Misteriosos.
Recebeu o Prémio Calouste Gulbenkian para o melhor livro do biénio 1984-5 por 6 Histórias de Encantar e foi galardoada com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian pelo conjunto da sua obra em 1996. Foi candidata de Portugal ao Prémio Andersen.
Em 2004 foi escolhida pela Secção Portuguesa do IBBY (International Board on Books for Young People ) como candidata ao Prémio Hans Christian Andersen .
Em 2009 a Sociedade Portuguesa de Autores distinguiu-a com a sua Medalha de Honra.
Em 2010 foi proposta pela DGLB como candidata de Portugal ao Prémio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil.
Em 2018 e 2020 como candidata ao prémio sueco ALMA.