Marta Louro a jovem “princesa” que brilhou como jornalista

jornalista Marta Louro | Imagem: Facebook

As cerimónias fúnebres de Marta Louro vão ter este sábado, a partir das 19h00, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Colares, no concelho de Sintra. O Funeral realizar-se este domingo, com missa às 14h30, indo de seguida para o Cemitério São Gregório.

A jornalista de 27 anos, residia em Colares e é filha do comandante dos Bombeiros Voluntários de Colares, António Pedro Louro.

Marta Louro, era reconhecida pelo exemplo de profissionalismo e abnegação, pelo exemplo de coragem e vontade e também numa bolsa que será criada, pelo Correio da Manhã e da CMTV, onde trabalhava, que irá premiar um jovem aspirante de jornalismo com um estágio remunerado.

O anúncio da criação da bolsa ‘Marta Louro’ foi feito esta sexta-feira pelo diretor-geral do CM e da CMTV, Carlos Rodrigues.

Antes de se juntar à família do CM, Marta Louro estudou Ciências da Comunicação na Universidade Autónoma de Lisboa e é descrita por colegas como “uma das alunas mais aplicadas, esforçadas e dedicadas” do curso. Quando finalizou a licenciatura, iniciou um estágio na secção de Sociedade do CM, antes de trabalhar na rádio, em Beja. Regressaria a Lisboa para ingressar no CM.

Recorde-se, Marta Louro perdeu a vida num acidente, quando seguia num motociclo no Eixo Norte-Sul que colidiu com uma viatura entre as saídas das Laranjeiras e Sete Rios daquela via. A jornalista, que seguia como passageira, não resistiu aos ferimentos e o óbito foi declarado no local. O condutor da moto sofreu ferimentos graves e foi transportado para o hospital de Santa Maria, na capital.

O SINTRA NOTÍCIAS e o Jornal CORREIO DE SINTRA, lamenta o falecimento da Marta, e a perda sofrida por todos os colegas, amigos e familiares, a quem endereçamos as nossas condolências.