Primeiro-Ministro, António Costa referiu que as intervenções do Governo vão estar centradas na utilização de três instrumentos: máscaras, certificados digitais e testes

“O Conselho de Ministros aprovou elevar o nível de alerta para o nível de calamidade a partir do próximo dia 01 de dezembro de forma a que estejamos habilitados com o quadro legal necessário para podermos adotar as medidas adequadas e proporcionais ao risco”, disse António Costa no conferência de imprensa do final da reunião do Conselho de Ministros no qual foram decididas novas medidas para conter a pandemia.

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje essencial evitar um “terrível janeiro” próximo como foi o deste ano, apelando ao cumprimento das regras para controlar a pandemia para que a vida continue com “segurança, tranquilidade e liberdade”.

“Aquilo que é essencial evitarmos é que o janeiro do próximo ano tenha qualquer coisa que seja a ver com o terrível janeiro que vivemos este ano de 2021”, apelou.

De acordo com chefe do executivo, a única forma de garantir que isto não acontece depois do período do Natal é seguir as recomendações de “mais utilização das máscaras, mais higiene das mãos, mais distanciamento físico, teletrabalho sempre que possível”.

“São as regras que permitem evitar que tenhamos de voltar aqui a falar dos temas que falávamos há um ano atrás. Hoje não estamos aqui a falar de encerramento de atividades, de recolheres obrigatórios, da proibição de circulação entre concelhos, de limitação de lotações, de confinamento geral”, recordou.

Hoje, continuou Costa, o Governo apontou a necessidade de prosseguir com sucesso o processo de vacinação, de usar mais vezes máscara, de as pessoas fazerem mais vezes testes e de exibirem mais vezes o certificado digital.

“É assim que poderemos continuar a viver com segurança, tranquilidade e liberdade para que o conjunto das atividades económicas que também já tanto sofreram possam agora prosseguir e a nossa vida tenha a normalidade adequada aos momentos em que estamos a viver”, afirmou.

TOME NOTA:

Na semana a seguir à passagem de ano, entre 2 e 9 de janeiro haverá medidas mais restritivas para evitar o cruzamento de pessoas fora dos agregados familiares.

Durante essa semana, o teletrabalho passa a ser obrigatório e as discotecas e bares vão permanecer encerrados. O regresso às aulas vai acontecer mais tarde, a 10 de janeiro.

Veja aqui o documento completo do Conselho de Ministros.

Conheça as medidas de combate à pandemia:

  • – Vai ser obrigatório apresentar teste negativo para entrar em recintos desportivos
  • – As aulas recomeçam a 10 de janeiro depois das férias do Natal
  • – O teletrabalho volta a ser recomendado e é obrigatório entre 2 e 9 de janeiro
  • – Vacinas para crianças chegam a partir de 20 de dezembro
  • – Regresso às aulas adiado e discotecas fechadas uma semana
  • – Portugal em situação de calamidade a partir de 1 de dezembro

[em atualização]