Greve encerrou cerca de 95% das escolas

Escola Básica da Cavaleira, em Algueirão

A greve de hoje terá encerrado cerca de 95% das escolas e foi provavelmente a greve da Administração Pública que encerrou mais escolas, afirmou hoje o dirigente da FENPROF, Mário Nogueira, num balanço a meio da manhã.

“Pelos menos 95% estão encerradas (..) e é provavelmente a greve que fechou mais escolas no nosso país”, afirmou o dirigente sindical, numa declaração pública sobre os efeitos da paralisação, em Lisboa.

Mário Nogueira adiantou que a participação dos professores no protesto “é elevadíssima”, e que só nos próximos dias serão divulgados dados mais precisos sobre a adesão ao protesto.

Ouvido pela Rádio Renascença, o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas. Filinto Lima, diz não ter acesso ao número de escolas encerradas, mas considera que a paralisação dos assistentes operacionais são os principais responsáveis pelo impacto da greve.

“Isto é fácil de explicar. Muitas vezes numa escola faltando um ou dois assistentes operacionais, a escola não pode abrir, porque eles já são poucos nos estabelecimentos de ensino e portanto ficam mesmo diminutos. O fecho das escolas deve-se, na minha opinião, mais à greve dos assistente operacionais do que à greve dos professores”, diz.