Basílio Horta (PS), vai recandidatar-se a um novo mandado, à presidência da Câmara Municipal de Sintra

O presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta, vai recandidatar-se a um novo mandado de quatro anos, pelo Partido Socialista nas eleições autárquicas deste ano, para “defender as pessoas e o património“, anunciou esta quinta-feira o autarca.

“O nosso trabalho está a melhorar a vida quotidiana de quem aqui vive, trabalha ou estuda, e será fundamental para gerações futuras. O novo hospital de Sintra, que irá ter inicio no próximo mês de agosto, é bem a prova desta capacidade de trabalho e dedicação a Sintra”, indicou o candidato, anunciando que o Tribunal de Contas, tomará uma decisão até 19 de agosto, e que significará o “início de obra ainda em agosto”.

O anúncio oficial da recandidatura de Basílio Horta à presidência da Câmara de Sintra aconteceu na noite desta quinta-feira, numa cerimónia transmitida em direto na rede social Facebook e que contou com a presença da vereação socialista na autarquia de Sintra, dos presidentes de junta de Freguesia e do secretário de Estado da Saúde.

“Defender Sintra, as suas pessoas e o seu património é essa a razão pela qual me apresento, democraticamente, ao eleitorado. A caminho do futuro, com os pés no presente”, reafirma o candidato.

(…) O novo hospital de Sintra, que irá ter inicio no próximo mês de agosto, é bem a prova desta capacidade de trabalho e
dedicação a Sintra”

Basílio Horta fez um balanço positivo do mandato autárquico e da gestão financeira da autarquia que permitiu “poupar e investir” em áreas essenciais como a saúde, educação, escolas, cultura, habitação, ambiente e economia. “A robustez financeira é essencial para cumprir os sonhos, porque ter sonhos sem meios para os realizar, pode ser um exercício pessoal muito interessante, mas não tem expressão e valor”, disse.

“O concelho vive hoje um novo ciclo e uma nova estratégia de desenvolvimento”, apontando para a “construção de novos equipamentos de saúde, melhor mobilidade, requalificação do espaço público e mais zonas verdes e de lazer”.

(…) “temos a consciência tranquila, porque fizemos tudo aquilo que podíamos ter feito, tudo o que melhor sabemos e, temos uma enorme confiança no nosso eleitorado”

Na área da saúde, o candidato aproveitou a presença do secretario de Estado para reclamar mais recursos humanos para as unidades de saúde no concelho, “uma situação que muito nos preocupa”, dando o exemplo do novo Centro de Saúde de Algueirão Mem Martins, “com filas por falta de recursos humanos”. Por outro lado, o município de Sintra “tem ainda 78 mil cidadãos sem médico de família”, lembrando declarações do primeiro-ministro, António Costa, em Sintra, “que garantiu que até final do mandato, nenhum sintrense ficaria sem médico de família”.

Sobre o futuro, destacou a importância de manter ativos sectores estratégicos prioritários, em áreas como a saúde, educação, cultura e economia, dando conta de novos projetos, já identificados outros já orçamentados, nas novas tecnologias, videovigilância urbana, wi-fi nas escolas, reformulação do portal do munícipe, um novo recurso de gestão dos recursos humanos e a interatividade do espaço publico.

Já no final, “o nosso objetivo é olhar para Sintra e ter a garantia que será um concelho exemplarmente dirigido por uma Câmara íntegra e respeitada, um concelho de alto nível de bem-estar e qualidade de vida, de modernidade e de respeito pelas suas raízes culturais, históricas e sociológicas”. “Acredito no nosso concelho. Temos gente, juventude, uma estratégia, projetos e uma enorme vontade de os executar e realizar”.

De referir que as primeiras palavras do candidato foram de agradecimento e regozijo à vereação, aos presidentes de junta de freguesia, às várias associações e instituições do concelho, aos bombeiros e às escolas pelo “trabalho insubstituível”, tal como aos “trabalhadores e funcionários da autarquia”. Agradecimento ainda ao Partido Socialista que “durante oito anos “manifestou uma solidariedade sem mácula e fundamental para a estabilidade” contribuindo para o desenvolvimento do trabalho autárquico, assente em “valores e princípios” como “o valor da liberdade, da solidariedade e a inclusão. Aqueles que fazem a politica do ódio, da segregação e exclusão, esses são os nossos inimigos. Todos os outros são os nossos adversários”.

Sobre as autárquicas marcadas para 26 de setembro “temos a consciência tranquila, porque fizemos tudo aquilo que podíamos ter feito, tudo o que melhor sabemos. Temos uma enorme confiança no nosso eleitorado”, disse.

Além de Basílio Horta, já foram anunciadas em Sintra as candidaturas do deputado e médico infecciologista Ricardo Baptista Leite (PSD), do investigador Bruno Góis (BE), do vereador Pedro Ventura (CDU), do gestor Paulo Carmona (Iniciativa Liberal), do arquiteto Nuno Afonso (Chega) e do ator Guilherme Leite (Nós, Cidadãos!).