Festas populares continuam suspensas em julho e agosto

Junho é o mês dos Santos Populares com festas e arraiais por todo o país, nas noites de Santo António, de São João e de São Pedro.

Pandemia por Covid-19, "interdita" a realização dos festejos populares. no concelho de Sintra

Contudo devido à pandemia Covid-19, as festas e romarias populares vão continuar suspensas no continente português durante os meses de julho e agosto, devido à elevada concentração de pessoas que estes eventos implicam.

O município de Sintra está a analisar a realização de festejos no Concelho e tomará uma decisão, tornando sempre prioritária a saúde publica, mas considerando que a ponderação do nível de atividade económica é um fator decisivo para o futuro das comunidades locais. O São Pedro, Santo padroeiro, assinala-se no dia 29 de junho.

Em Cascais à semelhança do que aconteceu o ano passado, a atual situação pandémica levou a autarquia a não autorizar qualquer festejo ou celebração a propósito do dia de Santo António.

A Câmara de Lisboa também não autoriza a realização dos tradicionais arraiais devido à pandemia. As marchas populares e os casamentos de Santo António foram cancelados e a autarquia já anunciou que vai apoiar as coleticvidades envolvidas para compensar as perdas.

Recorde-se, esta quarta-feira, após uma reunião do Conselho de Ministros, em Lisboa, para atualizar as medidas do processo de desconfinamento, no contexto da pandemia de covid-19, o primeiro-ministro António Costa, lamentou que a proibição de realização das tradicionais festas populares se mantenha, mas sublinhou que “suscitam sempre grande movimentação, grande concentração de pessoas”.

“Estamos certos de que os primeiros a agradecer ao Governo tomar o ónus desta decisão serão os autarcas, que assim são poupados de terem de tomar as medidas que teriam inevitavelmente de tomar para a proteção das suas populações”, afirmou.

Questionado sobre a criação de zonas de diversão no Porto para assinalar o São João, António Costa referiu que o Governo falou com o município e sublinhou que não estão previstas festividades tradicionais, “mas a realização de três eventos, em três espaços ao ar livre devidamente limitados e concertados entre a Câmara Municipal do Porto e as autoridades de saúde”, pelo que serão seguidas “as regras próprias dos eventos” atualmente aplicadas.

“Quanto às situações de incumprimento das normas de afastamento, compete naturalmente às forças de segurança assegurar o cumprimento das normas”, acrescentou.


Imagem: UF de Sintra
Imagem Santos Populares: João Vieira / Myguide