Cientista Claudina Rodrigues-Pousada morreu aos 80 anos

A cientista Claudina Rodrigues-Pousada, pioneira da biologia molecular em Portugal, morreu na terça-feira, aos 80 anos, sendo que o funeral decorrerá na segunda-feira, dia 8 de março, foi hoje divulgado.

Cientista Claudina Rodrigues-Pousada | Foto: facebook

O Instituto de Tecnologia, Química e Biologia (ITQB) da Universidade Nova de Lisboa adiantou que o funeral, “apenas para familiares”, decorrerá no Dia Internacional da Mulher, “uma efeméride de grande simbolismo para alguém que foi um exemplo para gerações de cientistas mulheres em Portugal e no estrangeiro”.

“Claudina foi um exemplo para gerações de mulheres cientistas, em Portugal e no estrangeiro, pela sua incansável devoção à ciência. Foi também uma forte defensora de jovens cientistas a nível nacional e internacional, tendo apoiado muitos jovens colegas nas suas carreiras. A comunidade científica sentirá profundamente o seu desaparecimento”, sublinha a nota.

A investigadora, “que liderou a única equipa portuguesa a participar na Rede Europeia de Sequenciamento do Genoma da Levedura, liderava o laboratório de Genómica e Stress do Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier, da Universidade Nova de Lisboa”, pode ler-se em comunicado.

“Ao longo da sua carreira, orientou mais de 30 estudantes de doutoramento, deixando uma forte marca nas novas gerações de biólogos moleculares do país. Foi também uma grande entusiasta em motivar o público em geral para a relevância da investigação científica”, adianta a nota.

Segundo o diretor do ITQB NOVA, Cláudio Soares, citado no documento, a “longa carreira” da investigadora, “em diversas instituições, em Portugal e no estrangeiro, é o testemunho de uma vida rica dedicada à ciência e à formação de jovens”.

Claudina Rodrigues-Pousada

A investigadora nasceu em 1941 em Tadim, no distrito de Braga, licenciou-se em Farmácia pela Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (1968) e obteve o seu doutoramento em Bioquímica na Université Paris VII, em França, com uma “Mention trés honorable”.

Já em Portugal, ingressou no Instituto Gulbenkian de Ciência, onde se tornou chefe do Laboratório de Genética Molecular e, mais tarde, da Unidade de Engenharia Genética.

Foi também Professora Catedrática no Instituto Abel Salazar, no Porto, durante quase 20 anos antes de ingressar no ITQB NOVA, em 2000.

Entre os vários prémios internacionais que a cientista recebeu ao longo da carreira, a nota destaca “o Prémio de Membro Honorário vitalício pela Cell Stress Society International e o Diplôme d’Honneur FEBS da Federação Europeia das Sociedades de Bioquímica, a que presidiu em 2003-2004”.

Em Portugal, “recebeu o Prémio de Excelência e o Prémio de Mérito Científico, atribuídos por dois Ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior: Ministra Graça Carvalho e Ministro Manuel Heitor, respetivamente”.

Na quinta-feira, em comunicado, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, lamentou “profundamente” a morte da professora e investigadora Claudina Rodrigues-Pousada.

“É com imenso pesar que se encara a perda de uma investigadora e docente que se destacou enquanto uma referência na investigação na área da Genómica, nomeadamente no domínio sobre mecanismos celulares de regulação dos genes”, realçou Manuel Heitor.

Fotografia: facebook