“Acordámos com a má notícia da suspensão dos testes da vacina”

O primeiro-ministro considerou hoje uma "má notícia" a suspensão dos testes da fase final da vacina contra o novo coronavírus anunciada pela farmacêutica AstraZeneca, após uma suspeita de reação adversa séria num participante do estudo.

Primeiro-Ministro, António Costa | Foto: arquivo

“Não sabemos, ninguém sabe, quando termina a pandemia e sabemos que até haver uma vacina ela não desaparecerá. A semana passada havia um enorme otimismo de que o processo de avanço das vacinas estava rápido. Hoje, todos acordamos com uma má noticia que pelo menos um processo da vacina teve que ser suspenso. É um fator de incerteza”, afirmou António Costa, em Guimarães, durante uma visita à Bienal de Arte Têxtil Contemporânea CONTEXTILE.

A farmacêutica AstraZeneca está a desenvolver uma possível vacina contra a covid-19, em parceria com a Universidade de Oxford,.

A informação da suspensão dos testes foi avançada na noite de terça-feira pelo ‘site’ de informação especializado em saúde Stat News e depois confirmada pela própria farmacêutica, num comunicado enviado ao canal televisivo norte-americano CNN.

“Como parte dos testes globais controlados e randomizados em andamento da vacina de Oxford contra o coronavírus, o nosso processo de revisão padrão desencadeou uma pausa na vacinação para permitir a revisão dos dados de segurança”, indicou a companhia em comunicado.

A AstraZeneca frisou que se trata de “uma ação de rotina, que deve acontecer sempre que houver uma doença potencialmente inexplicada num dos ensaios, enquanto ela é investigada”, de forma a garantir que é mantida “a integridade dos ensaios”.

“Em testes de larga escala, as doenças acontecem por acaso, mas devem ser revistas de forma independente para que sejam verificadas com cuidado. Estamos a trabalhar para acelerar a revisão de um único evento para minimizar qualquer impacto potencial no cronograma do teste. Estamos comprometidos com a segurança de nossos participantes e os mais altos padrões de conduta nos nossos testes”, concluiu o comunicado.

Dessa forma, os estudos em estágio final da vacina estão suspensos enquanto a empresa investiga se um relatório de um paciente com um efeito colateral sério está relacionado com o produto em desenvolvimento.

Um porta-voz da AstraZeneca confirmou que a pausa nas vacinações abrange os testes nos Estados Unidos da América (EUA) e em outros países.

A informação da suspensão da vacina surge no mesmo dia em que a AstraZeneca e oito outros fabricantes de medicamentos assinaram um compromisso, prometendo manter os mais altos padrões éticos e científicos no desenvolvimento das suas vacinas, e que não procurariam obter a aprovação governamental prematura para nenhuma vacina contra o novo coronavírus.