Morreu o jornalista Vicente Jorge Silva

O jornalista e cineasta Vicente Jorge Silva, primeiro diretor do 'Público', morreu na madrugada desta terça-feira, aos 74 anos, avança o diário.

Morreu Vicente Jorge Silva

O jornalista Vicente Jorge Silva, cofundador e primeiro diretor do jornal Público, morreu na madrugada de hoje, em Lisboa, aos 74 anos, disse à agência Lusa fonte da próxima da família.  A informação foi avançada pelo próprio diário.

Nascido em 08 de novembro de 1945, no Funchal, Vicente Jorge Silva era um apaixonado por cinema, mas o jornalismo levou a melhor, experimentou a política, tendo sido deputado, mas foi uma experiência de que não gostou.

Vicente Jorge Silva marcou uma geração no jornalismo em Portugal, sendo dele a polémica expressão “geração rasca”, num editorial que assinou na altura das manifestações estudantis contra a então ministra da Educação do Governo de Aníbal Cavaco Silva, Manuela Ferreira Leite.

Começou por escrever artigos sobre filmes na página “Foco”, do Jornal da Madeira, tendo assumido mais tarde a direção do Comércio do Funchal, conotado com a oposição ao regime de Salazar e que desempenhou um importante papel na renovação da imprensa regional portuguesa.

Em 1974, Vicente Jorge Silva ingressou no Expresso, fundado dois anos antes, jornal no qual exerceu as funções de chefe de redação e de diretor-adjunto.  Cofundador e primeiro diretor do jornal Público, foi colunista do Diário Económico e do Diário de Notícias, comentador da SIC Notícias, e colaborava atualmente com o semanário Sol.

Como realizador de cinema foi autor de “O Limite e as Horas” (1961), “O Discurso do Poder” (1976), “Vicente Fotógrafo” (1978), “Bicicleta – Ou o Tempo Que a Terra Esqueceu” (1979) e “A Ilha de Colombo (1997)”. Porto Santo (1997), o seu último trabalho no cinema, foi exibido no Festival Internacional de Genebra.

Imagem: Jornal Público / Frame de video
Sintra Notícias com Lusa