Homem morre após ser baleado por outro em Moscavide

A família do ator Bruno Candé Marques também exigiu "justiça célere e rigorosa" perante um crime que considerou "premeditado e racista".

Imagem | PJ

Um homem morreu hoje após ter sido “baleado em várias zonas do corpo” por outro homem, entre os 60 e os 70 anos, na avenida de Moscavide, no concelho de Loures, distrito de Lisboa, disse hoje a PSP.

O alerta para a situação de disparos na avenida de Moscavide ocorreu pelas 13h20, e quando a Polícia de Segurança Pública (PSP) chegou ao local havia encontrou “um homem que tinha sido baleado em várias zonas do corpo por outro homem”.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP disse à Lusa que o óbito do homem baleado foi declarado no local e o homem responsável pelos disparos, com idade entre os 60 e os 70 anos, “está, neste momento, detido e foi-lhe apreendida uma arma de fogo”.

“Em termos de motivação, ainda não percebemos muito bem o porquê. Poderá ter a ver com questões meramente passionais, dado que não existe qualquer ligação entre os próprios”, avançou a PSP.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP prevê prestar esclarecimentos no local.

Por se tratar de um crime de homicídio, foi acionada a Polícia Judiciária.

A ocorrência mobilizou “dezenas de polícias”, inclusive devido à necessidade de interromper o trânsito na avenida de Moscavide.

Bruno Candé Marques tinha 39 anos e deixa três filhos. Todos com menos de cinco anos. Era ator e pertencia à companhia Casa Conveniente, que este sábado mudou a fotografia de perfil da sua página para uma a preto e branco com o rosto de Bruno Candé.

A família do ator Bruno Candé Marques exigiu “justiça célere e rigorosa” perante um crime que considerou “premeditado e racista”.