Segundo suspeito do homicídio do rapper Mota Jr. fica em preventiva

Segundo suspeito da morte do músico foi detido em Manchester, no cumprimento de um mandado de detenção europeu.

A Polícia Judiciária (PJ), que está a investigar as circunstâncias da morte do rapper Mota Jr

O segundo suspeito de matar Mota Jr, João Luizo, detido no dia 28 de maio, em Manchester, no Reino Unido, no cumprimento de mandado de detenção europeu, emitido pelo DIAP de Sintra, ficou em prisão preventiva.

Segundo um comunicado emitido pela Polícia Judiciária, o jovem, de 26 anos foi hoje presente a primeiro interrogatório judicial, esta quinta-feira e ficou detido.

Há ainda um outro suspeito preso preventivamente, que foi detido à chegada a Portugal vindo do Reino Unido, a 26 de maio.

Recorde-se, o corpo do rapper português, residente em São Marcos, no concelho de Sintra, foi encontrado em elevado estado de decomposição, numa zona de descampado, em Sesimbra, dois meses depois de o cantor ter sido dado como desaparecido.

David Mota terá sofrido uma morte violenta, já que terá sido espancado por pelo menos dois homens. 

A PJ suspeita que a motivação dos homicidas terá sido o dinheiro porque Mota JR ostentava com bastante frequência maços de notas, ouro e carros de alta cilindrada nos vídeos que publicava na Internet.