“Erradicar a Covid-19 não parece possível a curto e médio prazo”

A Ministra da Saúde alertou em conferência de imprensa que o país tem de estar preparado ” para a possibilidade de alternar períodos de maior contenção de movimentos, com períodos de maior alivio”.

Marta Temido, ministra da Saúde

Marta Temido disse este sábado, que “erradicar a Covid-19 não parece possível a curto e médio prazo”. Segundo a ministra da Saúde, no decorrer da conferência de imprensa de apresentação dos últimos dados da pandemia em Portugal, “cada caso confirmado gera atualmente e em média menos de um caso de transmissão (0,8%)”, acreditando que “o máximo da incidência tenha ficado entre os dias 23 e 25 de março”.

A Ministra da Saúde alertou que o país tem de estar preparado “para a possibilidade de alternar períodos de maior contenção de movimentos, com períodos de maior alivio”.

Apesar dos resultados alcançados no combate à Covid19, Marta Temido chama atenção que os mesmos “nos responsabilizam a todos ao nível do comportamento individual”, e que “os desafios que se colocam ao Serviço Nacional de Saúde estão longe de estar ultrapassados”.

No entanto, a Ministra da Saúde realçou o facto de que a “quebra de atividade existencial programada foi muito significativa. Em março as consultas médicas primárias sofreram uma quebra de 3,9%, as consultas hospitalares reduziram 5,7%, as cirurgias 5,3%”.

Marta Temido garante estarem a ser tomados “todos os cuidados” e a ser “implementadas todas as medidas para os doentes não Covid-19 que precisem de utilizar o Serviço Nacional de Saúde”, acrescentando que “não há necessidade de os utentes terem receio”.

“As lições positivas nas últimas oito semanas são para manter”, vincou Marta Temido, porque “erradicar o coronavírus não parece possível a curto-médio prazo. “Temos de manter medidas adicionais de controlo de riscos” e a possibilidade de “alternar períodos de maior contenção de movimentos, com períodos de maior alívio”, destaca a ministra da Saúde.

[atualizada, 14h01]