Devido ao surto do novo coronavírus (COVID 19), as regras de atendimento prestado pelo Gabinete de Apoio ao Munícipe nos Espaços do Cidadão e Loja do Cidadão do concelho de Sintra, estão temporariamente alteradas. 

Assim, seguem-se as informações a disponibilizar aos cidadãos:

  • Os pedidos de informação serão prestados, exclusivamente, pela via telefónica e online;
  • O atendimento presencial com fins não informativos será prestado, exclusivamente, através de pré-agendamento para os serviços não disponíveis por via eletrónica e para atos urgentes;
  • O número de cidadãos que pode estar no interior das instalações é limitado ao número de postos de atendimento em funcionamento;
  • O pagamento deverá ser efetuado, preferencialmente, por via eletrónica;

O apoio à utilização de serviços públicos digitais e o atendimento presencial através de pré-agendamento poderá ser efetuado através do portal e-portugal (https://eportugal.gov.pt//) e das linhas de contacto: 

  • Centro de Contacto Cidadão – 300 003 990 (segunda a sexta-feira das 09h00 às 18h00)
  • Centro de Contacto Empresas – 300 003 980 (segunda a sexta-feira das 09h00 às 18h00)

Tome nota:

Espaço Cidadão Sintra
telemóvel: 21 923 86 59 | gamq.sats@cm-sintra.pt

Espaço do Cidadão de Pêro Pinheiro
telemóvel: 21 923 88 80 | gamq.ppinheiro@cm-sintra.pt  

Espaço do Cidadão de Rio de Mouro
telemóvel: 21 923 69 30 | gamq.rmouro@cm-sintra.pt

Espaço Cidadão Cacém
telemóvel: 21 923 69 20 | gamq.cacem@cm-sintra.pt

Espaço do Cidadão de Massamá
telemóvel: 21 923 69 35 | gamq.massama@cm-sintra.pt

Espaço Cidadão Queluz
telemóvel: 219 236 940 | gamq.queluz@cm-sintra.pt

Recorde-se, município de Sintra acionou o Plano de Contingência para o surto do COVID-19, que tem como missão “acompanhar a evolução da propagação do vírus, antecipar e implementar as medidas e ações adequadas de prevenção, intervenção e recuperação a fim de assegurar a continuidade das atividades essenciais e prioritárias da Câmara Municipal e do município de Sintra, apoiar as populações e restabelecer, caso se justifique, a normalidade”.

Fotografia: CMS