“Mantenham a serenidade, a calma e a confiança”

CORONAVÍRUS | O primeiro-ministro lembra que há "condições para enfrentar e ultrapassar" a pandemia. O recolher obrigatório não consta do decreto, revela António Costa.

António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, já se pronunciou e anunciou que o Governo apoia a decisão do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, de decretar o estado de emergência.

A comunicação foi feita esta tarde de quarta-feira, pelo primeiro-ministro após uma reunião urgente do Conselho de Ministros, que decorreu no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

Antes, reuniu-se o Conselho de Estado, por vídeoconferência, o órgão de consulta política do Presidente da República.

O primeiro-ministro lembra que há “condições para enfrentar e ultrapassar” a pandemia.

António Costa lembra que a democracia não está suspensa no país e que a liberdade se mantém. “Em caso algum pode desresponsabilizar o notável exemplo de civismo que os portugueses têm dado”, lembra o primeiro-ministro. O recolher obrigatório não consta do decreto, revela António Costa.

Segue-se o debate parlamentar na Assembleia da República, hoje, a partir das 17h00, com a presença do primeiro-ministro.

Marcelo Rebelo de Sousa fala ao país às 20h00.

Leia o decreto na íntegra AQUI


[em atualização]