Cartaz na Praia das Maçãs pede para celebrar ‘baixas taxas de natalidade’

PRAIA DAS MAÇAS | Campanha holandesa tem como objetivo sensibilizar os turistas para os problemas ecológicos colocados pelo excesso de população no planeta.

"Celebrem as baixas taxas de natalidade", pede cartaz na Praia da Maças, em Sintra | Foto: Sintra Notícias

“Celebrate low birth rates”, com letras garrafais e em inglês, é o mote para uma campanha holandesa tem como propósito sensibilizar os turistas para os problemas ecológicos colocados pelo excesso de população no planeta.

O cartaz colocado em espaço publicitário, a poucos metros do Mercado Municipal da Praia das Maçãs, em Colares, no concelho de Sintra, pede aos turistas que “celebrem as baixas taxas de natalidade”, existente no nosso país. “As taxas de natalidade são uma bênção”, refere o site de organização, explicando que campanha internacional tem como propósito “incentivar países com baixas taxas de natalidade a celebrar” o facto.

O cartaz na Praia das Maçãs, integra uma campanha internacional em outdoors, lançada pela organização The Great Decrease que tem como missão alertar para os perigos que a sobrepopulação representa para o planeta Terra.

“Tornámo-nos numerosos. A nossa espécie mais do que duplicou nos últimos 50 anos”, lê-se no site da organização, lembrando que “hoje vivem na Terra mais de 7,6 mil milhões de pessoas e as Nações Unidas preveem que em 2050, mais de 10 biliões de pessoas irão povoar a terra”. Este aumento da população, “é a força motriz por trás dos principais problemas da atualidade, incluindo as mudanças climáticas, a perda de biodiversidade e a escassez de recursos”, pode ler-se no site.

À semelhança de outros países, a campanha foi lançada em Portugal, porque o país tem nesta altura a mais baixa taxa de natalidade da Europa (1,2), seguindo-se Singapura (1,3) e a Holanda (1,6):

“Num mundo superpovoado, ter menos filhos é a ação mais pró-crianças que se pode ter”, defende a The Great Decrease, concluindo que a queda das taxas de natalidade “são uma bênção” para travar o “crescimento exponencial da população mundial e suas conseqüências”, razão que explica a campanha internacional de outdoors.

Fotografia: Sintra Notícias