PSD defende interdição da Serra de Sintra durante alerta laranja

"Trata-se de uma medida de prevenção do risco de incêndio que as altas temperaturas podem provocar", refere Ana valente, presidente da Concelhia do PSD Sintra

Ana Valente, presidente da Concelhia do PSD de Sintra

O PSD do concelho de Sintra revelou que “nada tem a opor” à decisão de interditar o trânsito na Serra de Sintra entre sexta-feira e domingo.

O partido lembra, em comunicado que, “tal medida decorre do ‘aviso laranja’ da Proteção Civil devido às altas temperaturas previstas para o fim de semana”.

A posição assumida pela social democrata Ana Valente lembra que, “trata-se de uma medida de prevenção do risco de incêndio que as altas temperaturas podem provocar”.

“O PSD nada tem a opor a medidas que visem proteger o património que é de todos nós. Sintra e a sua Serra são património mundial, mas são sobretudo património dos sintrenses”, afirma a presidente do PSD Sintra.

Os sociais democratas recordam “um incêndio ameaçou” a Serra de Sintra em setembro do ano passado, mas consideram que “medidas extremas desta natureza só se tomam quando outras não foram tomadas e deviam ter sido”.

Para o PSD “a proteção civil no concelho não tem sido, em termos de políticas públicas, prioritária”, defendendo que, “prova de que não o tem sido, é o recurso, agora, a medidas extremas”.

Os sociais democratas consideram mesmo que “alguma coisa está a falhar neste domínio”.

Fonte da autarquia sintrense revelou ao SINTRA NOTÍCIAS que o município não alimenta polémicas partidárias. “Numa altura de alerta laranja, em que toda a estrutura municipal está empenhada nas operações que estão a decorrer este fim de semana, não é o momento de perder tempo com acusações sem sentido”. “O PSD evita estes enganos estando atento à realidade e ouvindo os bombeiros e os agentes de proteção civil em Sintra”, defende a autarquia.

A autarquia de Sintra lembrava a condecoração que a Câmara Municipal de Sintra recebeu no passado mês de maio, quando a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) atribuiu a medalha “Fénix de Honra” ao município, a segunda mais alta distinção honorífica.

“A Câmara de Sintra, sem os seus Corpos de Bombeiros, era um corpo sem alma”, disse Basílio Horta, distinguido com a medalha “Fénix de Honra” da Liga dos Bombeiros Portugueses

“As autarquia locais têm vindo a desenvolver ao longo dos anos um apoio cada vez mais significativo às Associações de Bombeiros (…) para além até do papel que a lei lhes confere”, destacou Rama da Silva, sublinhando neste caso o papel “exemplar nesse processo da Câmara de Sintra”.

“Muitas vezes temos dado o exemplo da autarquia de Sintra e do seu presidente, no sentido de ter estruturado e estabelecido uma parceria profícua com as respetivas Associações Humanitárias de Bombeiros do Concelho”, reconheceu o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses.

O dirigente lembrou que, “independentemente dos valores de ordem financeira, para nós, Liga dos Bombeiros Portugueses, é fundamental considerar, acima de tudo, a vontade, o desejo e a expressão direta desses apoios, e a Câmara tem sido sensível aos argumentos e às necessidades das Associações”, disse Rama da Silva, destacando o município de Sintra e todos os agentes envolvidos nesta causa humanitária, como “um exemplo extraordinário ao país”.