Protocolo reforça vigilância e intervenção na Serra de Sintra

INCÊNDIOS | Protocolo entre o Município de Sintra, a Parques de Sintra – Monte da Lua, a Fundação CulturSintra e as nove Associações de Bombeiros do Município de Sintra.

Serra de Sintra, posto vigilância da Pedra Amarela

No âmbito do sistema de proteção civil e da defesa da floresta contra incêndios, a Câmara de Sintra assinou, dois protolocos de colaboração para a vigilância e intervenção na Serra de Sintra.

No valor de 440 mil euros, o protocolo celebrado entre o Município de Sintra, a Parques de Sintra – Monte da Lua, a Fundação CulturSintra e as nove Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários do Município de Sintra, visa regular o funcionamento e apoiar os Grupos de Intervenção Permanente a cargo de todas e de cada uma das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários de Sintra.

Com este protocolo, 45 novos elementos juntam-se ao Grupo de Intervenção Permanente, cinco para cada entidade.

Protocolo celebrado entre o Município de Sintra, a Parques de Sintra – Monte da Lua, a Fundação CulturSintra e as nove Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários do Município de Sintra

Para Basílio Horta, presidente da Câmara de Sintra, este protocolo é de uma relevância histórica “pois responde à reivindicação justíssima dos bombeiros sobre os grupos de intervenção permanente. Era necessário aumentá-los e conseguimos fazer isso, apostando uma vez mais na prevenção do nosso Património e da nossa gente”.

O protocolo realizado pela autarquia, a Parques de Sintra – Monte da Lua, a Planbelas – Sociedade Imobiliária e a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Belas, no montante total de 14,500 euros, pretende reforçar o Posto de Vigia de Belas, situado no Belas Clube de Campo, de 1 de junho a 6 de novembro.

“Quem paga impostos tem o direito a receber em serviços e o investimento na vigilância e prevenção está nas nossas prioridades. Estes dois protocolos refletem o nosso respeito e confiança pelos nossos bombeiros que vão servir a nossa comunidade”, concluiu o autarca. 

O Posto de Vigia de Belas é de relevante importância para observação do território por ser o único que permite, em simultâneo, estabelecer cruzamento de azimutes com o Posto de Vigia do Alcoitão e com o Posto de Vigia de Nafarros, tornando-se um elo fundamental para a determinação exata do surgimento de uma coluna de fumo em qualquer das vertentes da Serra de Sintra.