Prisão para suspeito de crimes de auxílio à imigração ilegal

Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Sintra

Foto - arquivo

Um homem estrangeiro, suspeito da prática de 19 crimes de auxílio à imigração ilegal e 13 crimes de falsificação, ficou em prisão preventiva, anunciou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Segundo a PGDL, o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Sintra, “coadjuvado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), procedeu a buscas e apreensões, tendo sido detido e apresentado ao juiz de instrução criminal, para primeiro interrogatório judicial, um arguido, fortemente indiciado pela prática de 19 crimes de auxílio à imigração ilegal, dos quais seis na forma tentada, e 13 crimes de falsificação de documento”.

Segundo o documento, o arguido, detido esta segunda-feira, pelo menos desde 2014 procedeu à inscrição junto dos serviços da Segurança Social, como seus trabalhadores, de cerca de uma centena de cidadãos estrangeiros, tendo “ficcionado a criação de duas empresas”.

“A coberto destas empresas simulou a celebração de contratos de trabalho com diversos cidadãos estrangeiros, recebendo por cada um quantias entre os 1.020 euros e os 8.745 euros, e recebendo ainda mensalmente dos interessados quantias referentes às quotizações devidas à Segurança Social”, frisa.

A PGDL explica que na posse de tais contratos de trabalho e de documento comprovativo da inscrição na Segurança Social como contribuinte, os interessados dirigiam-se ao SEF solicitando títulos de residência.

“O arguido ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva, por se verificar em concreto os perigos de fuga e de continuação da atividade criminosa”, concluiu.

O inquérito foi dirigido pelo Ministério Público na 4.ª secção do DIAP de Sintra, Comarca de Lisboa Oeste, com a colaboração do SEF.