Combustíveis: Serviços mínimos garantidos mas greve continua

Motoristas reivindicam o reconhecimento da categoria profissional específica

Fila de carross, para o acesso à bomba de combustíveis da GALP no Algueirão às 17h10, desta terça-feira

O ministro das Infraestruturas e da Habitação reuniu-se com o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) por causa da greve dos motoristas.

Segundo o sindicato da ANTRAM, a reunião serviu para esclarecer quem estaria abrangido pela requisição civil e esse “objetivo foi cumprido”, no entanto, esta continuará por tempo indeterminado.

Na origem desta reunião está a greve nacional dos motoristas de matérias perigosas, que começou às 00h00 de segunda-feira, e que foi convocada pelo SNMMP, por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Gerou-se a corrida aos postos de abastecimento de combustíveis provocando congestionamento nas vias de trânsito, originando longas filas de trânsito, para o acesso às bombas de combustível.

No concelho de Sintra, às 20h00 desta terça-feira, mais de 40 postos de combustível tinham sido afetos devido à greve dos motoristas de matérias perigosas.

O SINTRA NOTÍCIAS apurou que todos os postos de combustível da BP estão sem gasóleo no concelho de Sintra.

A greve deixou o aeroporto de Faro sem ser abastecido desde segunda-feira e o de Lisboa desde hoje, com a ANA a admitir “disrupções operacionais”.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) apelou aos cidadãos para que deem prioridade aos veículos de emergência médica nos postos de abastecimento, explicando que todas as viaturas foram atestadas de manhã.