Somos cada vez mais, menos portugueses!

PORTUGAL | Evolução positiva na natalidade ainda não chega para compensar número de óbitos o que significa, na realidade, que não nos conseguimos reproduzir

Em Portugal, morrem mais pessoas do que aquelas que nascem | Foto: Filme de animação "Storks" – EUA, 2016

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou os dados relativos ao saldo natural respeitante ao ano de 2018 e conclui-se que, pelo décimo ano consecutivo, o saldo é negativo. Isto é, em Portugal, morrem mais pessoas do que aquelas que nascem.

Segundo os dados do INE, em 2018 registaram-se 87.325 nados-vivos e 113 477 óbitos em território nacional.

Apesar de o número de nados-vivos, de mães residentes em Portugal, ter sido de 88.973 (mais 1% face a 2017), a verdade é que o número de óbitos de residentes em Portugal foi superior: 112 955, (mais 2,9% em relação a 2017).

Conclui-se que a evolução positiva do número de nados vivos, foi inferior ao número de óbitos, que aumentou, o que significa um sério agravamento do saldo natural (-25 982), valor que se mantém negativo pelo décimo ano consecutivo.

Portugal está a perder população, que não se renova. Somos cada vez menos !!!

Imagens: Filme de animação “Storks” – Estados Unidos, 2016