CDS-PP de Sintra ‘não se revê’ no desafio de abandono da ANMP

A Comissão Política do CDS de Sintra "não se revê no desafio lançado pela coligação 'Juntos pelos Sintrenses' ao Presidente da Câmara, para que Sintra lidere a saída da Associação Nacional de Municípios Portugueses", disse ao SINTRA NOTÍCIAS, o presidente da Concelhia de Sintra

Maurício Rodrigues, presidente da Concelhia de Sintra do CDS-PP

A Comissão Política do CDS de Sintra “não se revê no desafio lançado pela coligação ‘Juntos pelos Sintrenses’ ao Presidente da Câmara, para que Sintra lidere a saída da Associação Nacional de Municípios Portugueses”, disse ao SINTRA NOTÍCIAS, o presidente da Concelhia de Sintra do CDS-PP.

Para Maurício Rodrigues, “os vereadores eleitos pelo CDS agiram por sua iniciativa, tendo apenas e só, manifestado a sua vontade e não a posição da Comissão Política do CDS de Sintra”, esclarece, adiantando que da estrutura distrital ou nacional do partido, “nunca tendo este assunto sido sequer discutido no interior do CDS”.

Recorde-se, o vereador Marco Almeida, eleito pelo PSD/CDS-PP, defendeu na última reunião da Câmara, a saída do município de Sintra da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), devido à forma como o processo de descentralização foi conduzido.

O autarca, que já antes defendeu o abandono da ANMP pela Câmara de Sintra, alegou que, “até do ponto de vista constitucional, é duvidoso se a administração central pode impor à administração local a assunção de novas responsabilidades”.

A posição do vereador surgiu na sequência da aprovação, por unanimidade, da proposta de não aceitar a descentralização em 2019. Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, definiu também a criação de um grupo de trabalho para avaliar o impacto financeiro das novas competências.

De referir que a Concelhia do PSD de Sintra, também “não acompanha” tomada de posição de vereador, sobre ANMP. Ao SINTRA NOTÍCIAS, a presidente da Concelhia, Ana Isabel valente explica que “o PSD, não pode em coerência defender a posição tomada pelo vereador” [Marco Almeida] na Câmara de Sintra, repudiando “a sugestão de abandono” do município da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).