Morreu Embaixador José Fernandes Fafe

Óbito

O embaixador José Fernandes Fafe faleceu hoje, em Lisboa, aos 90 anos de idade | Imagem: CMC

O corpo de José Fernandes Fafe estará a partir das 19h00 em câmara ardente na igreja de São João de Deus, na Praça de Londres, estando prevista para amanhã uma cerimónia pelas 13 horas, sendo cremado às 15 horas no Cemitério dos Olivais, também em Lisboa.

José Fernandes Fafe morreu, na madrugada desta segunda-feira, na sua casa localizada na zona do Porto.

A notícia do óbito está já a circular nas redes sociais com João Soares, ex-ministro da Cultura e amigo pessoal do diplomata e dos seus filhos, a escrever um longo texto em homenagem a José Fernandes Fafe.

O antigo embaixador português em Cuba havia sofrido um AVC no início do mês, logo depois de ter comemorado os seus 90 anos.

O primeiro embaixador de Portugal em Cuba após o 25 de Abril completou o 90º aniversário no passado dia 31 de janeiro.

Entre os vários livros que escreveu contam-se a biografia de Che Guevara, ‘De Cuba ao Terceiro Mundo’, escrita nos anos 60 sob o pseudónimo de David Alport e também a biografia do antigo líder cubano, ‘Fidel por José Fernandes Fafe’.

Em 2009, relembra a agência Lusa, o ex-diplomata assumiu-se, em Matosinhos, num encontro de literatura de viagens, como “um marginal que trabalha no sistema”, lembrando as “viagens” que fez através da leitura de livros proibidos.

Um ano depois, José Fernandes Fafe comentou, à Lusa, uma entrevista de Fidel à revista norte-americana The Atlantic em que admitiu que o modelo cubano já não funciona, nem em Cuba, sugerindo que EUA (Estados Unidos da América) e União Europeu (UE) devem aligeirar as sanções contra Cuba.

Para o ex-diplomata, as declarações de Fidel testemunham o que resta do “modelo cubano” e significam um “piscar de olho” aos Estados Unidos e à Europa.

“Podem pretender significar que Cuba está em movimento, começou as mudanças e a Europa e os EUA devem aligeirar as sanções contra Cuba e aliviar o bloqueio”, afirmou.

Apesar de não ser diplomata de carreira, Fernandes Fafe, depois de Cuba, representou ainda o Estado português em Cabo Verde, Argentina e México.

Segundo a edição online do DN o ex-embaixador e escritor teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) a 1 de fevereiro, dias depois de completar 90 anos.

Cascais

O seu último ato público foi a doação da sua biblioteca à Biblioteca Municipal Casa da Horta, em Cascais.

A Cerimónia de aceitação da doação da biblioteca do antigo embaixador José Fernandes Fafe decorreu na Biblioteca Municipal Casa da Horta da Quinta de Santa Clara no dia em que o doador completou 90 anos de vida.

“Vivi duas ou três décadas em Cascais nos anos 60 e 70, um período muito agitado do ponto de vista intelectual. Comprei muitos livros nessa época e fiz a minha biblioteca. Era lógico que agora a doasse a Cascais”, afirmou.

“Escrevi dois ou três livros em Cascais. Cascais significa qualidade de vida e, para haver essa qualidade de vida, é preciso haver pessoas que se interessem por fomentar essa mesma qualidade e o melhor exemplo é o do atual presidente da Câmara, Carlos Carreiras”, disse na ocasião.

Carlos Carreiras manifestou a sua “gratidão” ao aceitar a doação da biblioteca e disse que “Cascais fica mais rica a partir de agora”.

Da sua biblioteca pessoal, constituída por cerca de 7.000 volumes, foram doados livros de Poesia, Arte, Ciências Sociais e Políticas e Ciências Exatas, com destaque para algumas obras de poesia e política de autoria do próprio José Fernandes Fafe.

Sintra Notícias com Lusa