Antóbio Capucho | Foto: jornal Expresso

António Capucho confirma, em comunicado, que não será o cabeça de lista à Assembleia Municipal de Sintra na possível coligação PSD/CDS-PP nas eleições autárquicas deste ano, mas confirma que já tinha sido convidado para o lugar.

António Capucho recorda que “sendo verdade que oportunamente fui mais uma vez convidado por Marco Almeida para a posição em causa, manifestei-lhe a minha aceitação”, mas “nas negociações com o CDS surgiu a necessidade de ceder o cabeça de lista da Assembleia Municipal a este partido, à semelhança do que sucede na generalidade das candidaturas apoiadas pelo PSD e pelo CDS, nas quais estes assumem, respectivamente, o primeiro lugar para a Câmara e para a Assembleia” confirma António Capucho.

“Consultado por Marco Almeida antes de fechar a negociação com o CDS sobre este ponto, reafirmei-lhe a minha disponibilidade inequívoca para me afastar e apoiar a alteração, em benefício dos interesses eleitorais da candidatura”, adianta António Capucho, que se congratula pela escolha do CDS, “recair num político de competência e idoneidade reconhecidas, para além de ter experiência do exercício da presidência da Assembleia Municipal de Sintra”.

Na declaração, António Capucho explica que a sua decisão acontece, “não por imposição do PSD (recebi pessoalmente essa confirmação e a solidariedade do presidente da comissão  política distrital), mas especialmente quero que fique claro que não saio de cena”.

“Não ficou minimamente prejudicado o meu empenho desinteressado na candidatura de Marco Almeida à Câmara Municipal de Sintra, rumo a uma merecida vitória nas próximas eleições autárquicas”, termina António Capucho.