Basílio Horta “exige” do governo a construção de Hospital em Sintra

Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra

“A Câmara de Sintra tem possibilidade de dizer ao Governo que faça um hospital, aqui!”, disse hoje, Basílio Horta, presidente da Câmara de Sintra, durante a cerimónia de inauguração da Loja do Cidadão em Rio de Mouro.

“É tempo de se fazer um hospital em Sintra. Não apenas no seixal e em Évora, mas aqui!”, sublinhou Basílio Horta. “A nossa população não pode continuar a ser condenada a estar horas e horas na urgência do Amadora-Sintra e a ser deslocada para cascais sempre que há um problema”, constata o presidente da Câmara, que pretende “centralizar um hospital em Sintra.”

“Damos o terreno e 30 por cento do custo para um investimento estimado de 20 milhões de euros”, disponibilizando a autarquia cerca de 6 milhões de euros. desabafou Basílio Horta | Imagem: arquivo
“Damos o terreno e 30 por cento do custo para um investimento estimado de 20 milhões de euros”, disponibilizando a autarquia cerca de 6 milhões de euros”, refere Basílio Horta, que vai enviar carta ao ministro da saúde, Adalberto Fernandes [na imagem à direita]
“Damos o terreno e 30 por cento do custo para um investimento estimado de 20 milhões de euros, disponibilizando a autarquia cerca de 6 milhões. Se o governo tem dificuldades, nós fazemos”, desabafou Basílio Horta, que ainda hoje faz chegar ao Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, uma missiva, assinada por si e pelo presidente da Assembleia Municipal de Sintra, Domingos Quintas, a reafirmar essa necessidade de “construção de um hospital em Sintra”.

“Temos que ter um hospital, que faça urgências, mas também diagnóstico, cirurgia ambulatória, alguns aspetos de medicina interna, estou a pensar em 100 camas, mas os técnicos saberão melhor”, explicou.

E para que não restem dúvidas, “estamos em condições de o fazer”, voltou a sublinhar o presidente da Câmara de Sintra.

Pensativo, “o Governo que eu apoio é uma pessoa de bem e portanto, vai-me dizer que sim ou que não! Espero que não me diga que não, porque vai ter um conflito em Sintra”, disse em jeito de aviso, Basílio Horta.

[notícia atualizada 11h48]