Portugal com 266 mortes e 10.524 infetados

Portugal regista hoje 266 mortes associadas à covid-19,(+20) do que na sexta-feira, e 10.524 infetados (+638), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). [VIDEO: Conferência de imprensa]

Conferência de Imprensa, este sábado na Direção Geral de Saúde

Portugal regista hoje 266 mortes associadas à covid-19, mais 20 do que na sexta-feira, e 10.524 infetados (mais 638), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 266 mortes, mais 20 do que na véspera (+8,1%), e 10.524 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 638 em relação a sexta-feira (+6,5%).

Dos infetados, 1.075 estão internados, 251 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 75 doentes que já recuperaram.

A região Norte é a que regista o maior número de mortes (141), seguida da região Centro (66), da região de Lisboa e Vale do Tejo (54) e do Algarve (5). Quanto à região do Alentejo, o relatório da DGS de sexta-feira apresentava um óbito, mas o de hoje tem zero registos. Relativamente a sexta-feira, em que se registavam 246 mortes, observou-se este sábado um aumento de 8,1% (mais 20). Relativamente aos casos confirmados, tiveram um aumento de 6,5% face a quinta-feira.

Lisboa continua a ser o concelho com mais casos de infetados com coronavírus, seguindo-se o Porto e Vila Nova de Gaia. 5518 pessoas aguardam os resultados do teste à covid-19.

[em atualização]

DIRETO | Conferência de Imprensa
– Marta Temido, ministra da Saúde
– Graça Freitas, diretora Geral da Saúde

Conferência de imprensa COVID -19

Conferência de imprensa COVID -19 | Acompanhe em direto #DGS #Saúde #SNS

Posted by Direção-Geral da Saúde on Saturday, 4 April 2020

Marta Temido renovou o conselho de que as máscaras cirúrgicas, assim como o equipamento de proteção — máscaras, luvas e toucas – “continuam a ser aconselhadas para profissionais de saúde e para pessoas que contactem com doentes de covid-19 e [com] materiais por eles utilizados”.

(…) “Portugal vai fazer estudos serológicos para saber qual a proporção da sua população que adquiriu imunidade a este vírus”, — Graça Freitas

.