Linhas de crédito de 3 mil milhões para restauração, turismo e indústria

    Coronavírus: IVA e retenções de IRS e IRC podem ser pagos a prestações

    O governo anunciou, esta quarta-feira, a criação de linhas de crédito de um total de três mil milhões de euros para setores da economia mais afetados pelo impacto da epidemia de Covid-19.

    O ministro das Finanças, Mário Centeno, e o ministro das Economia, Pedro Siza Vieira, anunciaram esta quarta-feira um conjunto de linhas de crédito para apoio à tesouraria das empresas no montante total de 3 milhões de euros, destinadas aos setores mais atingidos pela pandemia Covid-19.

    O pacote de medidas, anunciado por Mário Centeno, destina-se a três áreas: garantias públicas, sistema bancário e flexibilização das obrigações fiscais e contributivas.

    Mário Centeno, afirmou ainda que a contenção já implementada devido ao novo coronavírus “está a levar a economia a tempos de guerra”, referindo que o momento exige “uma resposta sem precedentes”.

    Na área da restauração, será disponibilizada uma linha de 600 milhões de euros, em que 200 milhões de euros serão destinados a micro e pequenas empresas.

    No turismo, nomeadamente a agências de viagens serão distribuidos 200 milhões de euros, sendo que 75 milhões de euros serão paras micro e pequenas empresas.

    Os empreendimentos turísticos receberão 900 milhões, nos quais 300 milhões de euros irão para micro e pequenas empresas.

    Para a indústria estão destinados 1300 milhões de euros, nos quais 400 serão para micro e pequenas empresas.

    Estas linhas de crédito têm um período de carência até ao final do ano e podem ser amortizadas em quatro anos, referiu Pedro Siza Vieira.

    [em atualização]
    Sintra Notícias com TVI24