António Costa confirma fecho de escolas durante um mês

    Além do encerramento das escolas, o Governo decidiu que vai avançar com "restrições" no acesso a "centros comerciais, restaurantes e outros locais de diversão", para responder à situação de pandemia.

    António Costa apelou esta quinta-feira ao “sentido de comunidade” para enfrentar o Covid-19 e confirmou a suspensão de todas as atividades letivas presenciais até ao fim das férias da Páscoa. A medida é reavaliada a 9 de abril, para que possa ser preparado o 3.º período.

    O primeiro-ministro fez esta noite de quinta-feira uma comunicação ao país para anunciar não só o fecho de escolas, mas também o encerramento temporário de discotecas e estabelecimentos similares”, a redução em 1/3 da lotação máxima dos restaurantes para aumentar o espaço entre clientes e a “limitação da frequência” de centros comerciais ou serviços públicos para evitar “um excesso de pessoas dentro do mesmo espaço”.

    O primeiro-ministro admite que “temos de assumir e partir do princípio que esta pandemia ainda não atingiu o seu pico, pelo contrário, e está em fase de evolução”, acrescentando que “é muito provável que nas próximas semanas mais doentes venham a ser contaminados e que este possa ser um surto mais duradouro do que se possa ter estimado”, alertou.

    António Costa apelou a um “esforço coletivo para enfrentar pandemia”, já que “cada um de nós tem como primeiro dever proteger-nos uns aos outros”, sublinhando que esta é “situação excecional que é nova para todos nós nos tempos contemporâneos” e que “coloca desafios imensos”.

    T